BENEFICIOS DA SALA INTERATIVA NO ESPAÇO DAS PROFISSÕES PARA FORMAÇÃO DO BIOMÉDICO

Autores

  • Karla Lima Rodrigues Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • João Batista Dutra Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Romes Bittencourt Sousa Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Francis Patricio Ferreira Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Vanessa Canduz Poli Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Jeovino Sousa Junior Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Neila Teixeira Lima Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Roberta Naves Machado Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Caio César Araújo Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Gustavo Henrique Ayres Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Dione Lis Souza Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Joyce Alves Ventura Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Julia Cristina Cunha Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Renata Santos Dias Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Vinicius Gonçalves Rodrigues Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Gabriela Silvério Bazilio Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Renan Nunes Leles Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Gustavo Rodrigues Pedrino Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.
  • Ana Cristina Rebelo Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás - UFG.

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v17i21.51754

Resumo

A Universidade Federal de Goiás realiza anualmente o Espaço das Profissões, evento que promove integração da comunidade acadêmica e a comunidade externa. A sala interativa do curso de biomedicina é um espaço para expor diferentes áreas de atuação do biomédico demonstrando fatos sobre a graduação e a profissão. O objetivo da ação foi levar a comunidade externa o conhecimento adquirido na graduação, promover interação entre os discentes do curso e o público e permitir que ambos tenham contato com as habilitações do biomédico. Mais 20 habilitações foram representadas por atividades interativas e experimentais. Houve uma resposta positiva do público, que se mostrou bastante interessado e entusiasmado com as apresentações temáticas. Os discentes de Biomedicina se mostraram proativos, motivados e comprometidos com sua futura profissão. Foi possível observar a importância de ações de extensão que permitem aproximação da universidade a comunidade externa e despertar o interesse dos visitantes.

Palavras-chave: Espaço das profissões, biomedicina, interação social, Extensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO, A. S.; FARIA, L. Motivação, sucesso e transição para o ensino superior. Psicologia, v.20, n.2, p.69-93, 2006.

BATISTA, Juliana Alves. Pós-graduação em Estética. Revista do Biomédico. São Paulo. n 113. Nov.- dez., 2014.

BOHOSLAVSKY, R. Orientação profissional: a estratégia clínica. São Paulo, 1977.

BOMTEMPO, M. S.; SILVA, D.; FREIRE O. Motivos da escolha do curso de administração de empresas por meio da modelagem de equações estruturais. V 13 nº 3 Jul/Set. Belo Horizonte, 2012.

BOMTEMPO, M.S. Análise dos fatores de influência na escolha pelo curso de graduação em Administração: um estudo sobre as relações de causalidade, através da modelagem de equações estruturais. 2005. 142 p. Dissertação Mestrado em Administração de Empresas – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP, São Paulo, 2005.

BORGES, J. L.; Carnielli, B. L. Educação e estratificação social no acesso à universidade pública. Cadernos de Pesquisa, 35(124), 113-139, 2005.

BURRI, R. V.; DUMIT, J. (Eds.). Biomedicine as culture: instrumental practices, technoscientific knowledge, and new modes of life. New York: Routledge, 2007. p.251, 2007.

BUSS, P.M.; CARVALHEIRO, J.R.; CASAS, C.P.R. (Org.). Medicamentos no Brasil: inovação e acesso. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, p.440, 2008.

CFBM - Conselho Federal de Biomedicina. Biomedicina: Um painel sobre o profissional e a profissão. Livro. 76 f. 2009.

CFBM - Conselho Federal de Biomedicina. Habilitações. 2015. Disponível em <http://cfbm.gov.br/habilitacao/>. Acesso em 14 de fevereiro de 2018.

CLARKE, A. E., Shim, J. K., MAMO, L., FOSKET, J. R., Jennifer, R., & CLARKE, A. E. Biomedicalization: technoscientific transformations of health, illness, and u.s. biomedicine. American Sociological Review, v.68, n.2, p.161-194, 2003.

CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Objetivos do Programa PIBIC, 2006. Disponível em: <http://cnpq.br/pibic>. Acesso em 26 de janeiro de 2018.

ESPAÇO DAS PROFISSÕES UFG. Disponível em <http://vestibular.brasilescola.com/noticias/ufg-recebe-inscricoes-para-espaco-das-profissoes-2012/318894.html>. Acesso em 14 de fevereiro de 2018.

ESPAÇO DAS PROFISSÕES UFG. Disponível em <http://www.vestibular.ufg.br/2013/EP/>. Acesso em 25/02/2018.

FONSECA, L. P.; Couto, R. M.; COSTA, E. G. D.; COSTA, E. G. D. Legislação estética. Anais do XVII Encontro de Iniciação Científica e II Mostra de Extensão da Unin Cor. p 103. Três corações – MG, 2015.

GAUDILLIÈRE, J.-P. Inventer la biomédicine: la france, l’amérique et la production des savoirs du vivants (1944-1965). Paris: La Découverte, p.392, 2002.

GUIMARÃES, Jorge A. A pesquisa médica e biomédica no Brasil. Comparações com o desempenho científico brasileiro e mundial Ciência & Saúde Coletiva, 9 (2):303-327, 2004.

HOTZA, M. A. S. A re-escolha profissional dos vestibulandos da UFSC de 1997. Revista da ABOP, 2(1), 97-110, 1998.

KEATING, P.; CAMBROSIO, A. Biomedical platforms: realigning the normal and the pathological in late-twentieth-century medicine. Cambridge, MA: The MIT Press, p.560, 2003.

KNOP, M. N. H. A escolha de curso superior dos vestibulandos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul: um estudo quantitativo com utilização de Análise de Correspondência Múltipla. 2008, 130 p. Dissertação de Mestrado em Sociologia – UFRS, Porto Alegre, 2008.

LOCK, M.; GORDON, D. (Eds.). Biomedicine examined. New York: Springer, p.572, 2008.

LÜDKE, M.; CRUZ, G. B. Aproximando universidade e escola de educação básica pela pesquisa. Cadernos de pesquisa, 35 (125), 81-109, 2005.

MOREL, C. M., Carvalheiro, J. R., Romero, C. N., Costa, E. A., & BUSS, P. M. The road to recovery. Nature, v.449. p.180-182, 2007.

MYBURGH, J. E. An enpirical analysis of career choce factors that influence first-year Accouting students at the University of Pretoria: a cros-racial study. Meditari Accountancy Reserarch, (S.I.), v. 13, n. 2, p 35-48, 2005.

NUNES, C.A. Fatores determinantes na escolha pelo curso de ciências contábeis em IES particulares da cidade de São Paulo. 89 p. Dissertação de Mestrado em Ciências Contábeis - Fundação e Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP, São Paulo, 2014.

OLIVEIRA, L. R. Reflexões sobre os desafios da educação superior. Análise. Revista da Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e de Administração de Empresas Padre Anchieta. Jundiaí–SP: Sociedade Padre Anchieta de Ensino. 23 cm., 25, 2004.

PINHEIRO, R. G. Fatores de escolha pelo curso de Ciências Contábeis: uma pesquisa com os graduandos na capital e Grande São Paulo. 111 p. Dissertação de mestrado em Ciências Contábeis - Fundação e Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP, São Paulo, 2008.

PIVETTA, H. M. F., STEIN Backes, D., CARPES, A., HOLANDA Tavares Battistel, A. L., & MARCHIORI, M. Ensino, pesquisa e extensão universitária: em busca de uma integração efetiva. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 16, n. 31, p. 377-390, jul./dez. 2010.

RODRIGUES, A. L. L., do Amaral Costa, C. L. N., PRATA, M. S., BATALHA, T. B. S., & NETO, I. D. F. P. Contribuições da extensão universitária na sociedade. Caderno de Graduação-Ciências Humanas e Sociais-UNIT, 1(2), 141-148, 2013.

SALDANHA, L. A.; SILVA, J. R. & CASTRO, S. M. R. (2007). Sonhos e crises: Marcas da jornada universitária. Disponível na World Wide Web pela URL <http://www.jussara.ueg.br/pos_docencia_universitaria>. Acesso em 19 de janeiro 2018.

SAMPAIO, SMR., org. Entre a escola pública e a universidade: longa travessia para jovens de origem popular. In: Observatório da vida estudantil: primeiros estudos. Salvador: EDUFBA, pp. 27-51. ISBN 978-85-232-1211-7, 2011.

SOARES, S. A. M. A escolha do curso de serviço social: implicações subjetivas. 102 p. Dissertação de Mestrado em Serviço Social – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP, São Paulo, 2007.

SOUSA, Poliana Mendonça de. A atuação do biomédico em procedimentos estéticos não invasivos e invasivos não cirúrgicos. 2012. 38 f. Monografia (Graduação) – Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2012.

WHITAKER, D. C. A. A escolha da carreira. São Paulo, SP: Moderna, 1985.

Downloads

Publicado

2018-08-06

Como Citar

RODRIGUES, K. L.; DUTRA, J. B.; SOUSA, R. B.; FERREIRA, F. P.; POLI, V. C.; JUNIOR, J. S.; LIMA, N. T.; MACHADO, R. N.; ARAÚJO, C. C.; AYRES, G. H.; SOUZA, D. L.; VENTURA, J. A.; CUNHA, J. C.; DIAS, R. S.; RODRIGUES, V. G.; BAZILIO, G. S.; LELES, R. N.; PEDRINO, G. R.; REBELO, A. C. BENEFICIOS DA SALA INTERATIVA NO ESPAÇO DAS PROFISSÕES PARA FORMAÇÃO DO BIOMÉDICO. Revista UFG, Goiânia, v. 17, n. 21, 2018. DOI: 10.5216/revufg.v17i21.51754. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/51754. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos