A TOPONÍMIA E A ESTRADA DE FERRO DE GOIÁS

Autores

  • Paola Santiago dos Santos Gonçalves

Resumo

A análise motivacional das nomeações de estações em Goiás proporciona informações úteis no tocante ao conhecimento da história da Estrada de Ferro de Goiás (E. F. G.) Este texto visa a toponímia das estações da EFG e dos seus correspondentes municípios, de 1911 a 1952. Vale, primeiro, fazer um breve comentário sobre as condições da chegada dos trilhos ao chão goiano. No séc. não havia meios adequados para que a mercadoria chegasse ao comprador em tempo hábil e sem comprometimento de sua qualidade. O preço do frete – as WURSDVHRFDUURGHERLV²HOHYDYDPXLWRRFXVWRÀQDOGDPHUFDGRULDRTXDO impedia a concorrência com produtos de outros estados. Assim, explorou-se a criação de gado, já que este podia se auto-transportar, mas as condições eram inapropriadas. As boiadas sofriam grandes perdas nos longos percursos e, com frequência, o boi só podia ser vendido magro, uma vez que na viagem perdia parte do peso, tendo que ser invernado antes de ser abatido, diminuindo ainda mais sua competitividade no mercado (cf. Borges, 1990, p.49) dossiê (...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-01

Como Citar

GONÇALVES, P. S. dos S. A TOPONÍMIA E A ESTRADA DE FERRO DE GOIÁS. Revista UFG, Goiânia, v. 13, n. 11, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48384. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Mundo Digital e a Universidade