CATALÃO E A REPÚBLICA DO TREM DE FERRO

Autores

  • Nasr Fayad Chaul

Resumo

A estrutura política republicana, sedimentada na política dos governadores na gestão de Campos Sales, correspondeu ao predomínio dos cafeicultores envolvendo, ideologicamente, os interesses do café como se fossem os da nação. Da crescente GtYLGDH[WHUQDMiGHVGHRVÀQVGR,PSpULRDRSULPHLURFunding-Loan, o café foi o produto básico de exportação em torno do qual girava praticamente a maior SDUWHGDHFRQRPLDQDFLRQDO'HQWUHDVÀJXUDVEiVLFDVSDUDDPDQXWHQomRGR palco político republicano estava a do coronel, uma das formas de poder que constituíam o mandonismo local. Dessa forma, a análise do processo no qual o coronelismo, como forma de mandonismo, está inserido, passa pela compreensão da política cafeeira sob a égide do setor agroexportador, controlado principalmente pelos grupos dominantes ligados à cafeicultura paulista. No caso de Goiás, não vamos encontrar uma hegemonia do café como produto de cultivo básico, apesar de ter desenvolvido essa lavoura. (...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-01

Como Citar

CHAUL, N. F. CATALÃO E A REPÚBLICA DO TREM DE FERRO. Revista UFG, Goiânia, v. 13, n. 11, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48380. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Mundo Digital e a Universidade