REVISITANDO CONTEXTOS BILÍNGUES EM GOIÁS

Autores

  • Heloísa Augusta Brito de Mello
  • Sidney de Souza Silva

Resumo

Os estudos linguísticos sobre línguas em contato datam do século XIX, quando Hugo Schuchardt2 documentou uma série de situações complexas de línguas em contato em uma publicação de 1880 e posteriormente William Dwight Whitney3 , em 1881, discutiu o papel do empréstimo na mudança linguística (citados em APPEL e MUYSKEN (2005 [1987], p. 6-7). Contudo, foi a partir da década de 50, com a publicação do livro de Uriel Weinreinch (1953), Languages in Contact, que o tema ganhou maior projeção entre os linguistas. Até então os estudos de bilinguismo se localizavam na Psicologia e tinham como foco os resultados dos processos cognitivos dos bilíngues em comparação aos dos monolíngues. Ao introduzir uma nova perspectiva, a sociolinguística, Weinreich traz o foco para as questões relacionadas ao contato entre línguas numa dada comunidade de fala, ou melhor, para os fenômenos linguísticos e culturais resultantes desse contato. (...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-01

Como Citar

BRITO DE MELLO, H. A.; DE SOUZA SILVA, S. REVISITANDO CONTEXTOS BILÍNGUES EM GOIÁS. Revista UFG, Goiânia, v. 13, n. 10, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48354. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Mundo Digital e a Universidade