Para a crítica da subjetividade reificada

Autores

  • Maria Lucia Kons

Resumo

Ao longo da história, objetividade e subjetividade normalmente foram vistas como duas vertentes antagônicas da vida e da sociedade humanas. Contudo, separadas tornam-se abstratas, ou mesmo falsas. Alguns estudos buscam unilas em busca da universalidade e completude humanas. O livro Para a crítica da subjetividade reificada, de Anita C. Azevedo Resende, publicado pela Editora da UFG, na Coleção Critérios, é exemplo dessa tentativa de unir objetividade e subjetividade, pois, conforme a autora, a “análise da realidade social despojada da vida subjetiva transforma-se em sociologismo; ao mesmo tempo, a análise da vida subjetiva despojada da objetividade transforma-se em psicologismo” (p. 18-19). Composto por seis capítulos que adentram pelo tema do trabalho, da alienação, do fetichismo e da reificação, não de forma isolada, mas complementar, o livro de Resende trata da objetividade e da subjetividade que perpassam por cada um dos temas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-07-31

Como Citar

KONS, M. L. Para a crítica da subjetividade reificada. Revista UFG, Goiânia, v. 11, n. 7, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48268. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Críticas e Resenhas