Agricultores familiares e os desafios da transição agroecológica

Autores

  • Joel Orlando Bevilaqua Marin

Resumo

A redução dos recursos naturais, necessários para produzir e viver no meio rural, está se tornando problema comum entre agricultores familiares do Estado de Goiás. Em face do agravamento dos problemas ambientais, agricultores familiares afiliados à Cooperativa dos Agricultores Familiares de Itapuranga (Cooperafi) e ao Sindicato de Trabalhadores Rurais de Itapuranga (STRI) passaram a discutir e demandar alternativas para a melhoria da produção agrícola, aumento da renda aos agricultores e preservação dos recursos naturais existentes nas unidades produtivas de produção agrícola. Em resposta às solicitações dos representantes destas instituições, um grupo de professores da Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos, da Universidade Federal de Goiás, coordenado por mim e pela professora Gilsene Auxiliadora Ferreira, elaborou um projeto de extensão universitária, com o objetivo de experimentar, junto aos agricultores familiares de Itapuranga, caminhos para a transição agroecológica. Desde 2005, cerca de trinta agricultores familiares estão desenvolvendo, em suas propriedades, unidades de experimentação sobre os processos de produção agroecológica de frutíferas e hortaliças, sistemas agroflorestais, resgate de sementes crioulas, coberturas vegetais para recuperação do solo, manejo racional de pastagens e técnicas de compostagem orgânica e biofertilizantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-07-31

Como Citar

BEVILAQUA MARIN, J. O. Agricultores familiares e os desafios da transição agroecológica. Revista UFG, Goiânia, v. 11, n. 7, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48253. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Mundo Digital e a Universidade