A experiência urbana de Ceres: representações simbólicas do planejamento e da ocupação social do espaço

Autores

  • Sandro Dutra e Silva

Resumo

O contexto histórico que marcou o surgimento de Ceres (Colônia Agrícola Nacional de Goiás, identificada pelos antigos moradores como Cang ou, simplesmente, Colônia) teve, no cenário internacional, a expansão e a supremacia do nazismo na Segunda Grande Guerra (1939-1945). Enquanto o mundo era abalado pela instabilidade do conflito mundial, no interior de Goiás, na região das matas do São Patrício, às margens do Rio das Almas registrava-se a chegada da comitiva chefiada por Bernardo Sayão para a implantação da primeira Colônia Agrícola Nacional. O Estado Nacional (1937-1945) iniciava a implementação de sua política de ocupação de fronteiras, utilizando, com eficiência, os recursos da imprensa e propaganda, amplamente divulgados em revistas, folhetos e no rádio. Além de divulgar as políticas da Marcha para o Oeste, a propaganda oficial reforçava o sentimento de “brasilidade”, evidenciando o caráter nacional da (Continua...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins

Fontes, 1998.

BRASIL. Decreto Lei 3.059. Diário Oficial. 14 de fevereiro de 1941.

DEPARTAMENTO DE IMPRENSA E PROPAGANDA. As colônias agrícolas nacionais

e a valorização do trabalhador brasileiro. Rio de Janeiro: Gráfica Olímpica, 1941

GOIÁS. Decreto-Lei nº 3.074, de 4 de novembro de 1940. Correio Oficial: Órgão

dos Poderes do Estado de Goiaz, 6 de nov. 1940, Ano 104, nº 4.097. Goiânia: Imprensa

Oficial do Estado de Goiaz, 1940.

GOMES, Ângela Maria de Castro. “O trabalhador brasileiro”. In: OLIVEIRA, Lúcia

Lippi; VELLOSO, Mônica Pimenta; GOMES, Ângela Maria de Castro. Estado Novo:

ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1982.

HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

JORNAL O ANÁPOLIS. Iniciada a ligação Goiânia–Colônia Agrícola Nacional. Ano

IX, nº 431, 26 de dez. 1943. Anápolis.

LENHARO, Alcir. Sacralização da política. Campinas: Papirus, 1986.

NEIVA, I. C. O outro lado do colônia: contradições e formas de resistência popular

na Colônia Agrícola Nacional de Goiás. Dissertação – Universidade de Brasília, Instituto

de Ciências Humanas, 1984.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano.

Porto Alegre: UFRGS, 2002.

SAYÃO, Léa. Meu pai, Bernardo Sayão. 5ª ed. Brasília: Gráfica do Senado Federal,

SILVA, Sandro Dutra e. Os estigmatizados: distinções urbanas às margens do Rio

das Almas em Goiás (1941-1959). Tese (doutorado) – Universidade de Brasília, Departamento

de História, Programa de Pós-Graduação em História, 2008.

SOMBRA, Severino. Trabalho e Propriedade: horizontes sociais do Estado Novo.

In: Cultura Política: revista mensal de estudos brasileiros, Ano I, nº 4, Fev. 1941.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira,

Downloads

Publicado

2017-07-31

Como Citar

E SILVA, S. D. A experiência urbana de Ceres: representações simbólicas do planejamento e da ocupação social do espaço. Revista UFG, Goiânia, v. 11, n. 6, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48228. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Mundo Digital e a Universidade