MEMÓRIA E DOCUMENTAÇÃO HISTÓRICA NA RECONSTITUIÇÃO DA HISTÓRIA REGIONAL DE GOIÁS

Autores

  • Dulce Madalena Rios Pedroso

Resumo

Este é um estudo de caso sobre as relações interétnicas entre colonizadores e índios em Goiás, na primeira metade do século XIX e apóia-se em documentação histórica sobre um ataque dos índios avá-canoeiros ao Engenho Nossa Senhora da Conceição, na freguesia de Traíras, em uma região na bacia do alto Rio Tocantins, antiga província de Goiás. Uma das evidências a respeito da incursão indígena ao engenho de cana-de-açúcar encontra-se sob forma de crônica. A autora, Yêda Rios Brandão, é descendente da família atingida por esse acontecimento, para eles traumático, transmitido oralmente ao longo de cinco gerações, até ser registrado por escrito na década de 1950. Um documento histórico oficial existente é uma correspondência do presidente da província de Goiás solicitando permissão ao governo imperial para formar recrutas a fim de combater os índios avá-canoeiros que haviam atacado várias fazendas nos distritos de Traíras, Carmo, São Félix e Amaro Leite. O documento arrola, ainda, a localização de cada uma dessas propriedades, bem como o nome dos fazendeiros; aparece também o nome da proprietária do engenho, a ancestral da família. Ela e seus filhos transmitiram a seus descendentes esse evento, tantas vezes recordado e contado, e que acabou provocando a mudança da família para outra vila. (Continua...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-07-2017

Como Citar

PEDROSO, D. M. R. MEMÓRIA E DOCUMENTAÇÃO HISTÓRICA NA RECONSTITUIÇÃO DA HISTÓRIA REGIONAL DE GOIÁS. Revista UFG, Goiânia, v. 9, n. 1, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48163. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos