Educação bilíngüe intercultural entr e povos indígenas brasileiros

Autores

  • Maria do Socorro Pimentel da Silva

Resumo

No Brasil,  assim como em outros  países das Américas,  as  minorias  étnicas  viveram importantes processos de luta política que levaram os Estados nacionais ao reconhecimento de direitos  relacionados  à  preservação de suas  culturas  e  dos seus  conhecimentos. Como conseqüência deste fato, nos últimos anos consolidou­se uma  mudança  profunda  no campo da  educação escolar.  Essa mudança  é  respaldada  por uma legislação que permite aos indígenas desenvolverem propostas educacionais que  valorizem suas línguas, suas práticas culturais e seus lugares de pertencimento étnico,  ao mesmo tempo em que lhes  abrem as  portas  para novas  formas  de  inserção na  sociedade não­indígena brasileira com ênfase em uma cidadania que respeite e integre  as  diferenças,  o outro. ɠ nessa  direção que  o curso de  Licenciatura Intercultural  – Formação superior de professores  indígenas  – em implantação na Universidade  Federal de Goiás, se fundamenta. Uma proposta que se apresenta como um espaço político e de debate de questões relevantes para as comunidades indígenas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28-07-2017

Como Citar

PIMENTEL DA SILVA, M. S. Educação bilíngüe intercultural entr e povos indígenas brasileiros. Revista UFG, Goiânia, v. 8, n. 2, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48098. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos