OS ÍNDIOS “GOYÁ”, Os Fantasmas E Nós

Autores

  • Antón Corbacho Quintela

Resumo

É muito provável que todos os que residem em Goiás, e aqueles
que por aqui passaram, se tenham perguntado por que este Estado
da hinterlândia se chama Goiás. Sempre há, quer um texto, quer um
cicerone que dissipa a incógnita revelando que este Estado recebeu o
seu nome do gentílico de um povo indígena que morava neste território
quando os bandeirantes o invadiram. Nesse sentido, tanto panfletos de
caráter informativo geral quanto os documentos oficiais e a maioria dos
trabalhos acadêmicos reiteram a explicação consistente em associar
o nome do Estado de Goiás à designação utilizada para identificar
uns índios que povoavam as terras da nascente do rio Vermelho e a
região próxima da Serra Dourada. Todavia, a justificativa da origem
do topônimo “Goiás” fica com freqüência relegada a esse tradicional
tópico. Assim, embora a vinculação do topônimo a essa suposta
tribo ou nação aborígine do Centro-Oeste formada pelos silvícolas
denominados “goyazes”, “goiases”, “guayazes”, “guaiás”, “guoyá”, “goyá”
ou “goiá” goze de bastante aceitação, geralmente não vai acompanhada
de uma explanação que ilumine o cidadão curioso com dados a respeito
desses nativos. Pouco mais se menciona além de que os goyá tinham
seu principal assentamento no Mato Grosso goiano, concretamente na
região que foi escolhida como a paragem idônea por Bartolomeu Bueno
da Silva, o filho, para a fundação do Arraial ou Povoado de Sant’Anna. (Continua...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-07-28

Como Citar

CORBACHO QUINTELA, A. OS ÍNDIOS “GOYÁ”, Os Fantasmas E Nós. Revista UFG, Goiânia, v. 8, n. 1, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48083. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos