Aventura Maravilhosa

Autores

  • Jaime Sautchuk

Resumo

A história do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), da cidade de Goiás, daria um filme de aventura, cheio de alegrias e fortes emoções. Um sucesso de bilheteria, sem final previsto. Uma aventura maravilhosa, desde o comecinho, em 1998, quando tudo parecia um sonho, até os dias atuais e, espero, por muitos e muitos anos e décadas adiante. A sinopse dessa história é a junção de uma boa idéia com pessoas bem-articuladas para viabilizá-la e governantes sensíveis para encampá-la. Ou seja, um ambiente propício para que as coisas fluíssem de acordo com um roteiro surgido do nada e seguissem a trama, anos a fio. Aqui, porém, vamos nos ater ao nascedouro deste enredo,o surgimento da idéia, com o projeto original, até o II festival, que consolidou o evento. Tudo começou em novembro de 98, com um telefonema do publicitário Luiz Gonzaga Soares, o Gonza, dizendo que precisava conversar comigo. Não era novidade, pois em mais de vinte anos de amizade, onde quer que estivéssemos, de vez em quando um procurava o outro com algo para falar, pensar ou fazer. Desta feita, ele dizia que o governador eleito do Estado, que iria tomar posse em janeiro do ano seguinte, queria algo que projetasse Goiás nacionalmente, em termos culturais. A encomenda vinha de Luiz Felipe Gabriel, um dos coordenadores da campanha e, depois, secretário de Comunicação de Marconi. O mote era deste jeito mesmo, bem simples e direto: “algo que projete Goiás nacionalmente”. Depois de passar muitos anos em São Paulo, em grandes agências de publicidade, Gonza havia voltado para Goiânia e se associado a Renato (Continua...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28-07-2017

Como Citar

SAUTCHUK, J. Aventura Maravilhosa. Revista UFG, Goiânia, v. 8, n. 1, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48063. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê FICA