FORTUNA, AMIZADE E JUSTIÇA NA HÉCUBA DE EURÍPIDES

LUCK, FRIENDSHIP, AND JUSTICE IN EURIPIDES’ HECUBA

Autores

Resumo

Com base na análise de uma importante tragédia de Eurípides, Hécuba, de seu contexto social e político e de questões fundantes da ética grega, o presente artigo busca responder à pergunta do autor que ecoa por toda a peça: o julgamento moral e jurídico deve levar em consideração a contingência vivida pelas partes e pelo juiz? As conclusões indicam nossa concordância com aqueles que advogam a necessidade, tanto no Direito como na política, na economia e nos saberes éticos em geral, da garantia a cada pessoa de bens e recursos necessários ao seu bem viver, cuja privação pode macular sua compreensão do mundo e o seu senso de justiça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alisson Alves Santos, Universidade Federal da Bahia

Mestre em Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Advogado. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8163-1426. Email: alisson.2903@hotmail.com.

Referências

ALMEIDA, Juliana Santana de. A racionalidade das emoções em Aristóteles. 2017. Tese (Doutorado) – Curso de Filosofia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Orientador: Maria de Lourdes Alves Borges. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/183420/349810.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 23 jul. 2020.

ARISTÓTELES. Etica a Nicómaco. 8. ed. Traducción Maria Araujo y Julian Marias. Madrid: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales, 2002.

ARISTÓTELES. Poética. Tradução Ana Maria Valente. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

ARISTÓTELES. Política. Traducción Julian Marias y Maria Araújo. Madrid: Instituto de Estúdios Políticos, 1951.

ARISTOTLE. On the movement of animals. In: NUSSBAUM, Martha C. Aristotle’s De motu animalium. Translation Martha C. Nussbaum. New Jersey: Princeton University Press, 1985. p. 24-55.

ÉSQUILO. Euménides. In: ÉSQUILO. Oresteia: Agamémnon, Coéforas, Euménides. Tradução Manuel de Oliveira Pulquério. Lisboa: Edições 70, 1992. p. 173-236.

EURÍPIDES. Hécuba. In: Duas tragédias gregas: Hécuba e Troianas. Tradução Cristian Werner. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

HERACLITO. Fragmentos contextualizados. Tradução Alexandre Costa. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2005.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. Tradução Artur M. Parreira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

KASTELY, James L. Violence and rhetoric in Euripides's Hecuba. PMLA, [s.l.], v. 108, n. 5, p. 1036-1049, 1993.

KIBUUKA, Brian Gordon L. A guerra e o teatro de Eurípides. Curitiba: Prismas, 2015. v. 1, p. 166-168.

KIRKWOOD, Gordon M. Hecuba and nomos. Transactions and proceedings of the American Philological Association, [s.l.], v. 78, p. 61-68, 1947.

MITCHELL-BOYASK, Robin N. Sacrifice and revenge in Euripides' Hecuba. Ramus, [s.l.], v. 22, n. 2, p. 125. 1993.

NEVES, António Castanheira. O instituto dos “assentos” e a função jurídica dos supremos tribunais. Coimbra: Coimbra Editora, 1983.

NUSSBAUM, Martha C. Frontiers of justice: disability, nationality, species membership. Cambridge: The Belknap press of Harvard University Press, 2007.

NUSSBAUM, Martha C. Not for profit: why democracy needs humanities. Princeton: Princeton University Press, 2010.

NUSSBAUM, Martha C. Poetic justice: the literary imagination and public life. Boston: Beacon Press, 1995.

NUSSBAUM, Martha C. The fragility of goodness: luck and ethics in greek tragedy and philosophy. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

NUSSBAUM, Martha C. Women and human development: the capabilities approach. New York: Cambridge University Press, 2000.

PLATÃO. A República. Tradução Maria Helena da Rocha Pereira. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

PLATON. Criton. In: PLATON. Œuvres. Traduction Maurice Croiset. Paris: Societé d'Edition "Les Belles Lettres", 1964. tome I, p. 209-233.

PLUTARCO. Foción. In: PLUTARCO. Foción y Catón El Menor. Traducción Antonio Ranz Romanillos. Barcelona: Editorial Iberia, 1959.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

SAN ISIDORO DE SEVILLA. Etimologías. Traducción D. Luis Cortés Góngora. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, MCMLI, libro VIII, capítulo VII.

SILVA, Antonio Sá da. Questão trágica e Questão jurídica: Decisões que declaram e Decisões que promovem “capacidades” humanas. Boletim da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Coimbra, v. 96, p. 291-327, 2020.

URMSON, James O. Aristotle’s ethics. Cambridge: Blackwell Publishers, 1988.

WERNER Christian. Introdução. In: EURÍPIDES. Duas tragédias gregas: Hécuba e Troianas. Tradução Cristian Werner. São Paulo: Martins Fontes, p. XI-LX, 2004.

WILLIAMS, Bernard. The women of trachis: fictions, pessimism, ethics. In: WILLIAMS, Bernard. The sense of the past: essays in the history of philosophy. Princeton: Princeton University Press, p. 49-82, 2006.

ZANOTTI, Grace. κυνὸς σῆμα Euripides’ Hecuba and the uses of revenge. Arethusa, [s.l.], v. 52, n. 1, p. 11, 2019.

Downloads

Publicado

2023-01-19

Como Citar

SILVA, A. S. da; ALVES SANTOS, A. FORTUNA, AMIZADE E JUSTIÇA NA HÉCUBA DE EURÍPIDES : LUCK, FRIENDSHIP, AND JUSTICE IN EURIPIDES’ HECUBA. Revista da Faculdade de Direito da UFG, Goiânia, v. 46, n. 2, 2023. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revfd/article/view/71083. Acesso em: 23 jul. 2024.