A VIDA SACRA E O PURO-NÃO: ENTRE HISTÓRIA E SUBJETIVIDADE

Autores

  • Ricardo Prestes Pazello UFPR

DOI:

https://doi.org/10.5216/rfd.v38i2.24042

Palavras-chave:

Filosofia do direito, vida sacra, puro-não, movimentos sociais, criminalização.

Resumo

Tomando como ponto de partida a estética do puro-não, decorrente da interpretação do poema de Oliverio Girondo, o presente ensaio busca compreender as formas de negação da vida como estratégia política e como relação ética. Dialogando com a genealogia do estado de exceção, de Marx a Agamben, constrói-se uma reflexão filosófica acerca da vida sacra que, no contexto brasileiro, pode ser visualizada nos casos de criminalização de movimentos sociais. O caso aqui estudado é o do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra e a ação judicial que propôs sua dissolução. A possibilidade da vida surge do próprio puro-não, na medida em que este se diferencia do nada, e permite a ascensão de subjetividades coletivas contra-hegemônicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Prestes Pazello, UFPR

Professor de Antropologia Jurídica no Curso de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Secretário geral e pesquisador do Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS). Secretário administrativo do Centro de Formação Milton Santos – Lorenzo Milani (Santos-Milani). Pesquisador do Núcleo de Estudos Filosóficos (NEFIL/UFPR), do grupo de pesquisa Direito, Sociedade e Cultura (FDV/ES) e do Instituto de Filosofia da Libertação (IFiL), nas seguintes linhas temáticas: “Direito e Marxismo na América Latina”, “Teorias Críticas, América Latina e Epistemologias do Sul” e “Antropologia Jurídica, Movimentos Populares e Comunidades Tradicionais”. Coordenador dos projeto de extensão popular universitária Direito e Cidadania (UFPR). Doutorando em Direito das Relações Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal do Paraná (PPGD/UFPR). Mestre em Filosofia e Teoria do Direito pelo Curso de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina (CPGD/UFSC). Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colunista do blog assessoriajuridicapopular.blogspot.com. Correl: ricardo2p@ufpr.br

Downloads

Publicado

2015-02-11

Como Citar

PAZELLO, R. P. A VIDA SACRA E O PURO-NÃO: ENTRE HISTÓRIA E SUBJETIVIDADE. Revista da Faculdade de Direito da UFG, Goiânia, v. 38, n. 2, p. 121–148, 2015. DOI: 10.5216/rfd.v38i2.24042. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revfd/article/view/24042. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos