Empresas goianas que exportaram continuamente entre 2016 e 2020

grau de internacionalização e características

Autores

Palavras-chave:

Internacionalização, Empresas, Goiás

Resumo

O artigo objetiva calcular o grau de internacionalização das empresas goianas que exportaram, continuamente, entre 2016 e 2020 e identificar o estágio de inserção das mesmas. O método de pesquisa utilizado, neste estudo, foi o estatístico, com o uso do Índice de Transnacionalidade da United Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD) e com análises das frequências das respostas, de 24 empresas, a um questionário sobre atividade exportadora. Para compor o corpus do artigo, selecionou-se quatro rankings de internacionalização de empresas: grau de internacionalização, número de países de destino, frequência anual das exportações e porcentagem da exportação em relação à produção total. Ao término das análises, percebeu-se confluência nos estágios de inserção no mercado exterior, centrados nas etapas iniciais, e o baixo grau de internacionalização (de 0,04 a 0,333) das empresas analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Freire de Lucena, FACE/UFG

Doutora em Relações Internacionais (UnB). Professora associada do curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Ariane Matias Correia, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Graduanda em Ciências Econômicas (UFG) e bolsista do Programa à Pesquisa Científica, Tecnológica e em Inovação da UFG (PIP-UFG). 

Paulo Zhara Mascarenhas Florentino, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Graduando em Ciências Econômicas (UFG) e bolsista do Programa à Pesquisa Científica, Tecnológica e em Inovação da UFG (PIP-UFG). 

Referências

BODDEWYN, J. J. Foreign Divestment: Magnitude and Factors. Journal of International Business Studies, New York, v. 10, n. 1, p. 21-27, 1979.

CARNEIRO, J.; DIB, L. A. Avaliação comparativa do escopo descritivo e explanatório dos principais modelos de internacionalização de empresas. INTERNEXT- Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 1-25, jan./jun. 2007.

DALMORO, M. Internacionalização de empresas em redes horizontais: uma análise a partir do Projeto Setorial Integrado Wines from Brazil. 2009. Dissertação (Mestrado em Estratégia e Competitividade) – Faculdade de Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2009.

FILLIS, I. A methodology for researching international entrepreneurship in SMEs. Journal of Small Business and Enterprise Development, Melbourne, v. 14, n. 1, p. 118-135, 2007.

FLORIANI, D. E.; FLEURY, M. T. O Efeito do Grau de Internacionalização das Competências Internacionais e no Desempenho Financeiro da PME brasileira. RAC, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 438-458, 2012.

HILAL, A.; HEMAIS, C. A. O processo de internacionalização na ótica da escola nórdica: evidências empíricas em empresas brasileiras. Rev. adm. contemp., São Paulo, v. 7, n. 1, p. 109-124 jan./mar. 2003.

HYMER, S. H. The International Operations of National Firms: A Study of Direct Foreign Investment. Cambridge: MIT Press, 1976.

IBGE. CONCLA: Comissão Nacional de Classificação. 2021. Disponível em: https://concla.ibge.gov.br/images/concla/documentacao/EstruturaDetalhadaCNAE_CNAEFiscal2_Atualizada.pdf. Acesso em: 02 fev. 2021.

IETTO-GILLIES, G. Different conceptual frameworks for the assessment of the degree of internationalization: an empirical analysis of the various indices for the top 100 transnational corporations. Transnational corporations, New York, v.7, n. 1, p. 17-39, 1998.

LUCENA, A. F. de.; CARVALHO, S. R. de. Internacionalização de empresas e Empreendedorismo Internacional. In: LUCENA, A. F.; CARVALHO, C. R. R. (org.). Internacionalização de empresas goianas: processos, estratégias e dificuldades. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico, 2018. p. 83-98.

LUCENA, A. F. de.; DIAS, L. O.; SANTOS, V. B. dos. Internacionalização de empresas e Teoria das Redes. In: LUCENA, A. F.; CARVALHO, C. R. R. (org.). Internacionalização de empresas goianas: processos, estratégias e dificuldades. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico, 2018. p. 69-82.

LUCENA, A. F. de.; SILVA, G. D. O Modelo de Uppsala e o processo de internacionalização das firmas. In: LUCENA, A. F.; CARVALHO, C. R. R. (org). Internacionalização de empresas goianas: processos, estratégias e dificuldades. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico, 2018. p. 53-67.

LUOSTARINEN, R.; WELCH, L. S. Internationalization: Evolution of a Concept. Journal of General Management, Newbury Park, v. 14, n. 2, p. 34-55, 1988.

MINISTÉRIO DA ECONOMIA. Exportação e Importação Geral. 2020. Disponível em: http://comexstat.mdic. gov.br/pt/geral. Acesso em: 17 jun. 2021.

MINISTÉRIO DA ECONOMIA. Lista de Empresas Brasileiras Exportadoras e Importadoras. 2021. Disponível em: https://www.gov.br/produtividade-e-comercio-exterior/ pt-br/assuntos/comercio-exterior/estatisticas/empresas-brasileiras-exportadoras-e-importadoras. Acesso em: 05 fev. 2021.

MOURA, A. A. F.; DE LUCA, M. M. M. Grau de internacionalização das Empresas Listadas na BM&FBovespa. In: ENCONTRO DE ESTUDOS EM ESTRATÉGIA, 6., 2013, Bento Gonçalves. Anais [...]. Bento Gonçalves: ANPAD, 2013.

RECEITA FEDERAL. Emissão de Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral. 2021a. Disponível em: https://servicos.receita.fazenda.gov.br/servicos/ cnpjreva/cnpjreva_solicitacao.asp. Acesso em: 15 maio 2021.

RECEITA FEDERAL. Simples Nacional. 2021b. Disponível em: http://www8.receita.fazenda.gov.br/simplesnacional/aplicacoes.aspx?id=21. Acesso em: 17 fev. 2021.

SEBRAE. Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa. Brasília: DIEESE, 2013. Disponível em: https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/ Anuario%20do%20Trabalho%20Na%20Micro%20e%20Pequena%20Empresa_2013.pdf. Acesso em: 15 jun. 2021.

SECRETARIA DE ESTADO DA ECONOMIA. Os maiores contribuintes do ICMS. 2021. Disponível em: https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Anuario% 20do%20Trabalho%20Na%20Micro%20e%20Pequena%20Empresa_2013.pdf. Acesso em: 29 abr. 2021.

SILVA, J. D.; CARVALHO, C. R. R; CAMPOS, F. R. Processo de internacionalização na perspectiva da Nova Economia Institucional (NEI): uma abordagem da teoria de custos de transação. In: LUCENA, A. F.; CARVALHO, C. R. R. (org). Internacionalização de empresas goianas: processos, estratégias e dificuldades. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico, 2018. p. 15-36.

VIEIRA, J. C. O Paradigma Eclético e a internacionalização das empresas. In: LUCENA, A. F.; CARVALHO, C. R. R. (org). Internacionalização de empresas goianas: processos, estratégias e dificuldades. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico, 2018. p. 39-52.

Downloads

Publicado

2022-08-12

Como Citar

FREIRE DE LUCENA, A. .; MATIAS CORREIA, A.; ZHARA MASCARENHAS FLORENTINO, P. . Empresas goianas que exportaram continuamente entre 2016 e 2020: grau de internacionalização e características. Revista de Economia do Centro-Oeste, Goiânia, v. 7, n. 1, p. 21–37, 2022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/reoeste/article/view/71553. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos