Educação escolar e educações indígenas: reflexões epistêmicas

Autores

  • Odair Giraldin

DOI:

https://doi.org/10.5216/racs.v3i1.55379

Palavras-chave:

Episteme, Ontologia, Educação, Multi/interculturalidade

Resumo

Neste  texto  apresento  algumas  reflexões  para  pensar  sobre  bases epistêmicas para uma educação escolar ligada aos povos indígenas. Reitero inicialmente que é preciso construir uma perspectiva baseada na pluralidade e  na  multiculturalidade  com  foco  nas  especificidades  linguísticas  e culturais de cada povo indígena. A partir dessa base, em que se valoriza o conhecimento dos regimes ontológicos, das filosofias e saberes ameríndios, podemos então perspectivar a interculturalidade (entendida como campo resultante da interação entre um povo com os não-indígenas e com outros povos indígenas). E, assim, podemos pensar em educações indígenas, uma vez que valorizamos a especificidade local de cada povo indígena. Nessa base,  podemos  finalmente  refletir  sobre  políticas  de  educação  escolar direcionadas aos povos indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-11

Como Citar

GIRALDIN, O. Educação escolar e educações indígenas: reflexões epistêmicas. Articulando e Construindo Saberes, Goiânia, v. 3, n. 1, 2018. DOI: 10.5216/racs.v3i1.55379. Disponível em: https://revistas.ufg.br/racs/article/view/55379. Acesso em: 4 fev. 2023.