JOVENS POBRES E OS SENTIDOS ATRIBUÍDOS À EDUCAÇÃO ESCOLAR E AO MUNDO TRABALHO

Resumo

O presente artigo tem como objetivo geral apresentar os resultados de uma pesquisa empírica realizada com jovens pobres evadidos da escola, residentes no Setor Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia, Goiás, Brasil, destacando suas percepções acerca da categoria juventude, mundo do trabalho e sobre a própria condição de evadidos da escola. Parte-se do seguinte problema: quais as memórias, as trajetórias escolares e as perspectivas de futuro de quatro jovens pobres residentes em um bairro da periferia de Aparecida de Goiânia? Conclui-se que os jovens do Setor Buriti Sereno vivem, em suas condições objetivas, uma limitação social a eles imposta como construção histórica e fruto de uma intencional segregação urbana, que se dá pelas vias do trabalho informal e da evasão escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Oliveira Seabra Guimarães, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
Doutorando em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) – linha de pesquisa: Educação, Sociedade e Cultura
Publicado
12-08-2019
Como Citar
Guimarães, V. O. S. (2019). JOVENS POBRES E OS SENTIDOS ATRIBUÍDOS À EDUCAÇÃO ESCOLAR E AO MUNDO TRABALHO. Revista Inter Ação, 44(2), 459-474. https://doi.org/10.5216/ia.v44i2.55267