FREQUÊNCIA DO Vírus da Leucemia Felina (VLFe) em FELINOS DOMÉSTICOS (Felis catus) SEMIDOMICILIADOS NOS MUNICÍPIOS DE PELOTAS E RIO GRANDE

Autores

  • Ana Raquel Mano Meinerz UFRGS
  • Tatiana de Ávila Antunes
  • Lorena Leonardo de Souza
  • Patrícia da Silva Nascente
  • Renata Osório de Faria
  • Marlete Brum Cleff
  • Fabiane Resende Gomes
  • Márcia de Oliveira Nobre
  • Dilmara Reischak
  • Luis Filipe Damé Schuch
  • Mário Carlos Araújo Meireles

Palavras-chave:

Sanidade animal

Resumo

Considerando a importância do VLFe na clínica felina, assim como a possível disseminação do agente a partir de um felino portador sintomático ou assintomático, o estudo tem como objetivo verificar a frequência de viremia pelo VLFe em felinos residentes em Pelotas e Rio Grande, municípios situados na região sul do Brasil. Para isso foi coletado sangue de 120 animais semidomiciliados para a detecção do retrovírus através da técnica de imunofluorescência indireta (IFI). Detectou-se a viremia em 38,3% (46/120) dos animais estudados, representando uma frequência maior em relação a outros estudos realizados no Brasil, o que confirma a importância deste agente na região estudada.

PALAVRAS-CHAVES: Felinos, imunofluorescência, retrovírus, VLFe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2010-04-01

Como Citar

MEINERZ, A. R. M.; ANTUNES, T. de Ávila; DE SOUZA, L. L.; NASCENTE, P. da S.; DE FARIA, R. O.; CLEFF, M. B.; GOMES, F. R.; NOBRE, M. de O.; REISCHAK, D.; SCHUCH, L. F. D.; MEIRELES, M. C. A. FREQUÊNCIA DO Vírus da Leucemia Felina (VLFe) em FELINOS DOMÉSTICOS (Felis catus) SEMIDOMICILIADOS NOS MUNICÍPIOS DE PELOTAS E RIO GRANDE. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 1, p. 90–93, 2010. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/438. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária