AVALIAÇÃO DAS COMPLICAÇÕES E DA PERFORMANCE REPRODUTIVA SUBSEQÜENTE À OPERAÇÃO CESARIANA REALIZADA A CAMPO EM BOVINOS

Autores

  • Luiz Antônio Franco da Silva
  • Maria Cristina de Medeiros Vieira
  • Maria Clorinda Soares Fioravanti
  • Duvaldo Eurides
  • Naida Cristina Borges

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar as principais complicações decorrentes da cesariana e alguns parâmetros reprodutivos, em fêmeas bovinas. Após o exame clínico geral e o exame específico das vias fetais, 50 animais foram submetidos à operação cesariana, realizada em decúbito lateral direito. Foi utilizado anestésico local e, após a retirada do feto, cloridrato de xilazina. A incisão foi realizada entre o úbere, a prega do joelho e a veia superficial abdominal; a sutura do útero foi feita com categute e a da pele com fio de algodão 000. O período pós-operatório constou de antibioticoterapia e curativo local. As distocias foram decorrentes de estática fetal incorreta, partos gemelares, fetos absolutos ou relativamente grandes, monstros fetais e torção parcial de útero. Quanto aos fetos, 24 nasceram vivos e 26 mortos, dentre esses últimos 14 estavam enfisematosos; duas vacas morreram e nove foram descartadas. Pode-se concluir que as principais complicações pós-operatórias observadas nesse estudo foram a retenção dos envoltórios fetais (44%), metrite clínica (48%), retenção associada à metrite (26%), deiscência de ferida (6%), peritonite (2%) e edema (6%). A cesariana acarretou aumento do período de serviço e do número médio de serviços por concepção das fêmeas operadas. PALAVRAS-CHAVE: Bovino, cesariana, fertilidade, complicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-19

Como Citar

SILVA, L. A. F. da; VIEIRA, M. C. de M.; FIORAVANTI, M. C. S.; EURIDES, D.; BORGES, N. C. AVALIAÇÃO DAS COMPLICAÇÕES E DA PERFORMANCE REPRODUTIVA SUBSEQÜENTE À OPERAÇÃO CESARIANA REALIZADA A CAMPO EM BOVINOS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 1, n. 1, p. 43–51, 2006. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/239. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária