Vibrio spp. ISOLADOS DE CAMARÃO E ÁGUA DE CULTIVO DE FAZENDA MARINHA EM PERNAMBUCO

Autores

  • Emiko Shinozaki Mendes UFRPE
  • Simone Francisca Lira UFRPE
  • Lílian Maria Nery de Barros Góes UFRPE
  • Joanna Dourado UFRPE
  • Bruno Cerqueira do Nascimento UFRPE
  • Paulo de Paula Mendes UFRPE
  • Carlos André Bezerra Alves UFRPE
  • Roseli Pimentel Pinheiro e Silva UFRPE

Palavras-chave:

Sanidade animal

Resumo

Coletaram-se, mensalmente, amostras de água e camarão, durante todas as fases de cultivo, em três fazendas situadas no litoral de Pernambuco, no período de estio e chuvoso, para a quantificação e identificação de Vibrio spp., totalizando noventa amostras. As contagens foram correlacionadas, através de modelos matemáticos (P<0,05), com as variáveis estação do ano, parâmetros bioquímicos da água, exame a fresco, exame histopatológico, presença de toxinas e técnicas de manejo empregadas. Apenas a variável tempo de cultivo interferiu na contagem total de Vibrio spp. em todas as amostras. Obtiveram-se contagens que variaram de 0,1x 10 a 6,2 x 103 UFC/mL na água, de 7,0 x 10 a 8,2 x 105 UFC/g na pós-larva, de 1,1 x 10 a 1,1 x 105 UFC/mL na hemolinfa e de 2,5 x 102 a 1,1 x 106UFC/g no hepatopâncreas. Identificaram-se as espécies V. mediterranei (1%), V. mimicus (1,25%), V. fischeri (4,25%), V. cincinnatiensis (4,25%), V. metschnikovii (4,25%), V. proteolyticus (5,5%), V. harveyi (5,5%), V. hollisae (5,5%), V. carchariae (7%), V. vulnificus (8,5%), V. damsela (8,5%), V. parahaemolyticus (13%), V. fluvialis (15%), V. anguillarum (16,5%). Conclui-se que a carga microbiana aumenta proporcionalmente com tempo de cultivo, em virtude do incremento de matéria orgânica, o que pode tornar os animais suscetíveis à infecção por víbrios.
PALAVRAS-CHAVES: Água de cultivo, Vibrio spp., camarão e Vibrionaceae. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emiko Shinozaki Mendes, UFRPE

UFRPE, Departamento de Medicina Veterinária, Laboratório de Sanidade de Animais Aquáticos, Professora Adjunto

Simone Francisca Lira, UFRPE

UFRPE, Graduação em Medicina Veterinária

Lílian Maria Nery de Barros Góes, UFRPE

UFRPE, Pós-graduação em Ciência Veterinária (Doutorado)

Joanna Dourado, UFRPE

UFRPE, Pós-graduação em Ciência Veterinária (Mestrado)

Bruno Cerqueira do Nascimento, UFRPE

UFRPE, Graduação em Medicina Veterinária

Paulo de Paula Mendes, UFRPE

UFRPE, Departamento de Pesca e Aquicultura, Professor Associado.

Carlos André Bezerra Alves, UFRPE

UFRPE, Pós-graduação em Ciência Veterinária (Mestrado)

Roseli Pimentel Pinheiro e Silva, UFRPE

UFRPE, Pós-graduação em Recursos Pesqueiros e Aquicultura (Mestrado)

Downloads

Publicado

2009-12-17

Como Citar

MENDES, E. S.; LIRA, S. F.; GÓES, L. M. N. de B.; DOURADO, J.; NASCIMENTO, B. C. do; MENDES, P. de P.; ALVES, C. A. B.; SILVA, R. P. P. e. Vibrio spp. ISOLADOS DE CAMARÃO E ÁGUA DE CULTIVO DE FAZENDA MARINHA EM PERNAMBUCO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 10, n. 4, p. 1191–1199, 2009. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2264. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Medicina Veterinária