O campo árido dos fraseologismos

Autores

  • Marilei Amadeu Sabino UNESP - Campus de São José do Rio Preto

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v23i2.15226

Palavras-chave:

fraseologismos, colocações, locuções, expressões idiomáticas

Resumo

No âmbito dos estudos fraseológicos, percebe-se que não há limites rígidos capazes de estabelecerem, com precisão, a diversidade de fraseologismos existentes. Não há, ainda, consenso sobre quais unidades são objetos de estudos da fraseologia, nem tampouco sobre as denominações que elas devam receber. Assim, este artigo objetiva levantar algumas questões relacionadas a diferentes denominações terminológicas empregadas por pesquisadores desse campo, as quais, longe de oferecer soluções à polêmica questão dos fraseologismos, demonstram que essa profusão terminologia pode não só atrapalhar os avanços científicos nesse domínio, como também sinaliza que ainda resta muito a ser feito na Área dos estudos fraseológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilei Amadeu Sabino, UNESP - Campus de São José do Rio Preto

Professora de Língua Italiana no Departamento de Letras Modernas da UNESP - Campus de São José do Rio Preto - SP. Pesquisa na área de Lexicologia/Lexicografia e Ensino de Línguas Estrangeiras.

Downloads

Publicado

2012-03-23

Como Citar

SABINO, M. A. O campo árido dos fraseologismos. Signótica, Goiânia, v. 23, n. 2, p. 385–401, 2012. DOI: 10.5216/sig.v23i2.15226. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/15226. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo