A ESCOLA DA FRONTEIRA: DIVERSIDADE E CULTURA NA FRONTEIRA BRASIL – GUIANA

Autores

  • Mariana Cunha Pereira

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v32i2.3066

Resumo

Este artigo discute as relações sociais no interior da escola da fronteira. Fronteira no sentido geográfico e simbólica. Assim, tem por objetivo mostrar que a escola da fronteira revela uma dinâmica própria caracterizada pelo trânsito físico e intercultural ali produzido. O artigo é parte da investigação realizada para compor a pesquisa da tese de doutorado intitulada: A ponte imaginária: o trânsito interétnico na fronteira Brasil–Guiana, cujo método foi à pesquisa etnográfica. As conclusões decorrentes do estudo realizado, entre outros aspectos, enfatizam o campo escolar como deficitário em políticas públicas que levem em consideração os aspectos particulares da fronteira; revela, também, que no interior da escola da fronteira os sujeitos sociais vivem relações tencionadas que expressa diferentes identidades étnicas e nacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-26

Como Citar

PEREIRA, M. C. A ESCOLA DA FRONTEIRA: DIVERSIDADE E CULTURA NA FRONTEIRA BRASIL – GUIANA. Revista Inter-Ação, Goiânia, v. 32, n. 2, p. 345–361, 2007. DOI: 10.5216/ia.v32i2.3066. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/3066. Acesso em: 24 jun. 2024.