A Cooperação científica nas controvérsias sobre os fundamentos da revolução quântica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v28i1.74961

Palavras-chave:

: Cooperação inter-científica, Física quântica, Sociedade Italiana de Física, Dissidentes quânticos

Resumo

O artigo analisa a cooperação entre ciências na produção do conhecimento e o papel das ciências humanas nos debates dos fundamentos da revolução quântica. Discussões baseadas na história e filosofia da ciência nos cursos de 1970/1972 da Escola de Verão Enrico Fermi, Varenna, Itália, sinalizaram possibilidades de  prosseguimento da construção da teoria quântica, combinando experimentos e contribuições teóricas, uma via tipicamente heterodoxa. Antes defendia-se que o
encaminhamento das controvérsias dar-se-ia por meio de procedimentos metodológicos limitados a experimentos sucessivos, uma via epistemológica tipicamente positivista e ortodoxa. O trabalho menciona o protagonismo de pesquisadores italianos na organização dos cursos referidos. O método é o de construção de narrativa baseada na historiografia da física e na utilização de fontes originais, obtidas em epistolário dos pesquisadores referidos. O artigo conclui pela relevância da cooperação
inter-científica no lidar com o paradigma da complexidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amilcar Baiardi, Universidade Católica do Salvador

Docente na Universidade Católica do Salvador e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História da Ciência da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Estadual de Feira de Santana. Possui doutorado em Ciências Humanas pela Universidade Estadual de Campinas

Alex Vieira dos Santos, Secretaria de Educação do Estado da Bahia

 Doutor em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela Universidade Federal da Bahia.

Carlo Loria, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Núcleo de Estudos Italianos (NESTI).

 Doutor em Ensino, Filosofia e História da Ciência pela Universidade Federal da Bahia.

Referências

BAIARDI, A. Sociedade e Estado no apoio à ciência e à tecnologia: uma análise histórica. São Paulo: HUCITEC, 1996.

____ . RESENHA, The origin of wealth de Eric D. Beinhocker, Cad. CRH, 21(52), 181-185, 2008 (a).

_____. Evolução das Ciências Agrárias nos Momentos Epistemológicos da Civilização Ocidental. In: MARTINS, R.; MARTINS, L. C. P.; SILVA, C. C.; FERREIRA, J. M. H. (Org.). Filosofia e História da Ciência do Cone Sul. 2ªed. Campinas: Associação de Filosofia e História da Ciência, AFHIC, 2008 (b), v. 1, p. 22-28.

BAIARDI, A. O ensino de história das ciências agrárias nas universidades. In: SOUZA, R. J. Jornadas Científicas-Agronomia. Guarujá: Editora Científica Digital, 2020. p 70-83.

BALTAS, A. Classifying Scientific Controversies In: MACHAMER, P.; PERA, M.; BALTAS, A. Scientific controversies: philosophical and historical perspectives. Oxford: University Press, 2000. p. 40-49.

BRIANESE, G. Congetture e confutazioni di Popper e il dibattito epistemologico post-popperiano. Torino: Paravia, 1993a.

_____. Il discorso sul metodo di Cartesio e il problema del método nel XVII secolo.

Torino: Paravia, 1993b.

BRUSH, S. G. Scientists as historians. Osiris, v. 10, p. 214-231, 1995.

CHUDEK, M.; ZHAO, W.; HENRICH, J. Culture-gene coevolution, large-scale cooperation, and the shaping of human social psychology. In: JOYCE, R.; STERELNY, K.; CALCOTT, B. Signaling, commitment, and emotion. Havard: MIT Press, 2013. p. 425–57.

COMTE, A. Curso de filosofia positiva. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

____. The Positive Philosophy. Ontario: Batoche Books Kitchner, 2000.

DI FRANCIA, G. T. L’indagine del mondo físico. Torino: Einaudi, 1976.

DUNN, J. Storie delle dottrine politiche. In: ORNAGHI, L.; DUNN, J.; HESPANHA, A. M.; THOENIG, J.; PANEBIANCO, A. Politica. Milano: Editoriale Jaca Book, 1993. p. 49-68

FISCHER, A. R. H.; TOBI, H.; RONTELTAP, A. When natural met social: a review of collaboration between the natural and social sciences. Interdisciplinary Science Reviews, 36 (4), 341-358, 2011.

FREIRE JUNIOR, O.; PESSOA JR, O.; BROMBERG, J. L. Apresentação Teoria Quântica: História e Cultura. In: FREIRE JUNIOR, O.; PESSOA JUNIOR, O.; BROMBERG, J. L. (org.) Teoria quântica: estudos históricos e implicações culturais. Campina Grande: Eduepb, 2011. p. 11-14.

FREIRE JUNIOR, O. Ciência e política na Itália dos anos 1970 In: ____; CARNEIRO, S. (org.) Ciência, filosofia e política: uma homenagem a Fernando Bunchaft. Salvador: EDUFBA, 2013. p. 107-122

____. The Quantum Dissidents, Rebuilding the Foundations of Quantum Mechanics (1950-1990). Verlag: Springer. 2015.

FREIRE JUNIOR, O. David Bohm, a Life Dedicated to Understanding the Quantum World. Gewerbestrasse: Springer, 2019.

FREIRE JUNIOR, O. DARRIGOL, O.; KOJEVNIKOV, A.; BACCIAGALUPPI, G.; JOAS, C.; PESSOA JR, O.; HARTZ, T. (Org.). The Oxford Handbook of the History of Quantum Interpretations. 1. ed. Oxford: Oxford University Press, 2022. v. 1.

FREIRE JUNIOR, O. BACCIAGALUPPI, G.; DARRIGOL, O.; HARTZ, T.; JOAS, C.; KOJEVNIKOV, A.; PESSOA JR, O. Introduction. In: FREIRE JUNIOR; BACCIAGALUPPI, G.; DARRIGOL, O.; HARTZ, T.; JOAS, C.; KOJEVNIKOV, A.; PESSOA JR, O. (Org.). The Oxford Handbook of the History of Quantum Interpretations. Oxford: Oxford University Press, 2022, v. 1, p. 1-6.

GADAMER, H. G. Verdade e método. Petrópolis: Vozes, 1997.

GOLDMANN, L. Ciências humanas e filosofia: que é a sociologia? São Paulo: DIFEL, 1978.

KANT, I. (a cura di GONNELLI, F.). Scritti di storia, politica e diritto. Roma: Laterza & Figli Spa, 1995.

KUHN, T. S. Estrutura das revoluções científicas (3. ed.) São Paulo: Perspectiva, 1962.

KUNZMANN, P.; BURKHARD, F.P.; WIEDMANN, F. Atlante di filosofia. Milano: Sperling & Kupfer, 1993.

LORIA, C. Entre o compromisso com a ciência e as motivações políticas: tensões e controvérsias na Sociedade Italiana de Física nos anos 70 do século XX. 2018, 183 p. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências).

LUZ, M. R. S.; FRACALANZA, P. S. Alfred Marshall e as" evoluções" vitorianas: situando Darwin e Spencer nos fundamentos teóricos do pensamento marshalliano. Nova Economia, v. 22, p. 417-450, 2012.

MARTINS, L. Al-C. P. História da ciência: objetos, métodos e problemas. Ciência & Educação (Bauru), 11(2), 305-317, 2005.

ORNAGHI, L. Scienza della politica. In:____; DUNN, J.; HESPANHA, A. M.; THOENIG, J.C.; PANEBIANCO, A. Politica. Milano: Editoriale Jaca Book, 1993. p. 15-48.

PARETO V. Manual d’Économie Politique. Genève: Droz, 1981.

POPPER, K. A lógica das ciências sociais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1978.

____. Conhecimento objetivo, uma abordagem evolucionária. São Paulo: EDUSP, 1975.

RANASINGHE, S. B. Progress in social sciences: Is it a paradigmatic revolution or an evolutionary process? Disponível em: UCER, University of Colombo Electronic repositor: 2010. University of Colombo, Sri Lanka | Wisdom Enlightens (https://cmb.ac.lk). Acesso em: 18 de novembro de 2021.

RODRIGO, L. M. A questão da cientificidade das ciências humanas. Pro-Posições, 18 (1 [52]), 71-77, 2007.

SARTORI, G. A política: lógica e método nas ciências sociais. Brasília: Editora UNB, 1997.

SCHWARTZMAN, S. Ciências naturais, ciências sociais e humanidades, (com um adendo sobre a necessidade de rever o sistema de avaliação da CAPES). Búzios (RJ): Avaliação de competência científica, CAPES, 2007. Disponível em: www.schwartzman. org.br/simon/buzlios.pdf. Acesso em: 19 de agosto de 2021.

SCHULZ, P. O trânsito intenso entre duas culturas. In: BARRETO, M. (org.) Humanidades e ciências naturais: ensaios e balanços críticos. Campinas: Editora Unicamp, 2021. p. 13-30.

SNOW, C. P. As duas culturas e uma segunda leitura. São Paulo: EDUSP, 2015.

SPENCER, H.; FAWCETT, H.; HARRISON, F. John Stuart Mill: his life and works. Twelve sketches. New York: Boston, J.R. Osgood, 1873.

SPRINGER, R. Porque estudar controvérsias cientificas. Episteme, 3(6), 208-221, 1998.

TURNER, J. H. Theoretical sociology: a concise introduction to twelve sociological theories. Los Angeles: SAGE Publications, 2014.

WEST, G. SCALE -The Universal Laws of Life, Growth, and Death in Organisms, Cities, and Companies. New York: NY, Penguin, 2017.

Downloads

Publicado

2023-12-22

Como Citar

BAIARDI, A.; DOS SANTOS, A. V.; LORIA, C. A Cooperação científica nas controvérsias sobre os fundamentos da revolução quântica. História Revista, Goiânia, v. 28, n. 1, p. 195–215, 2023. DOI: 10.5216/hr.v28i1.74961. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/74961. Acesso em: 23 jun. 2024.