Profissões e ofícios

as concepções acerca do trabalho e as instituições de ensino de ofícios na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul durante o século XIX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v27i1.74059

Palavras-chave:

profissão, ofícios, história da educação profissional, ensino de ofícios

Resumo

O presente artigo objetiva compreender as concepções de profissão e ofício, discutidas na década de 1830, na província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Além disso, aborda as instituições de ensino de ofícios que foram criadas na mesma década, ou seja, a implantação do Arsenal de Guerra e a criação, por lei, do Colégio de Artes Mecânicas, que não entrou em funcionamento. Para a realização desta investigação, lançou-se mão de documentos oficiais, os quais foram analisados a luz de estudos que corroboram para a compreensão do contexto da época e das categorias elencadas, notadamente a partir de Cunha (2005), Santos (2018), Valle e Arriada (2012), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Cláudia. Estudos secundários no Brasil nos séculos XIX e XX. PESSANHA, Eurize Caldas; GATTI JR., Décio (orgs.). Tempo de cidade, lugar de escola: História, ensino e cultura escolar em “escolas exemplares”. Uberlândia: EDUFU, 2012, p.87-116.

ALVES, Leonardo Dias. A divisão racial do trabalho como um ordenamento do racismo estrutural. Revista Katálysis. v. 25 n. 2 (2022): Serviço Social, Racismo e Classes Sociais. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-0259.2022.e84641

BATISTA, Eraldo Leme. Percurso histórico do ensino profissional no Brasil – da Colônia ao início do século XXI. Revista Espaço Acadêmico – n.228 – maio/jun. 2021.

BLUTEAU, Rafael. Vocabulario portuguez, e latino, aulico, anatomico, architectonico, bellico, botanico ... : autorizado com exemplos dos melhores escritores portuguezes , e latinos; e offerecido a El Rey de Portugal D. João V. Coimbra, Collegio das Artes da Companhia de Jesus : Lisboa, Officina de Pascoal da Sylva, 1712-1728. 8 v; 2 Suplementos.

CUNHA, Luiz Antonio. O ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. São Paulo: UNESP; Brasília, DF: FLACSO, 2005.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA. Da província de São Pedro ao Estado do Rio Grande do Sul – Censos do RS 1803-1950. Porto Alegre, 1981.

GARCIA, D. A. Dois dicionários no Brasil do século XIX: uma língua brasileira ou uma mesma língua portuguesa?. Fragmentum, [S. l.], n. 26, p. 13–28, 2012. DOI: 10.5902/11145. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/fragmentum/article/view/11145. Acesso em: 14 set. 2022.

HILSDORF, Maria Lucia Spedo. História da Educação brasileira: leituras. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2003.

MAESTRI, Mario. História e Historiografia do Trabalhador Escravizado no Rio Grande do Sul. História Revista, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 221-250, jul./dez. 2006.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História do Rio Grande do Sul. 9. ed. - Porto Alegre: Marins Livreiro Editora, 2014.

PINTO, Luís Maria da Silva. Diccionario da lingua brasileira. Ouro Preto, Typographia de Silva, 1832.

REGULAMENTO datado de 21 de fevereiro de 1832. Coleção Leis e Decretos do Império do Brasil. v.7. Rio de Janeiro: Tipografia Imperial e Constitucional de Seignot-Plancher, 1832.

RIO GRANDE DO SUL. Lei 12 – Criando um Colégio de Artes Mecânicas - 1837. Leis, atos e regulamentos sobre educação no período imperial na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Brasília: INEP/SBHE, 2004. In: TAMBARA, Elomar; ARRAIADA, Eduardo. (Org.). (Coleção Documentos da Educação Brasileira).

RIO GRANDE DO SUL (Província). Relatório apresentado pelo presidente Alves de Lima, 1946.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2a ed., 2008. (Coleção Memória da Educação).

SANTOS, Maicon Lopes dos. “Úteis a si mesmos e à pátria”: as classes de menores aprendizes do Arsenal de Guerra de Porto Alegre (1850 – 1870). Dissertação. Programa de Pós-Graduação em História. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 128 p., Porto Alegre, 2018.

SCOTT, D. A população do Rio Grande de São Pedro pelos mapas populacionais de 1780 a 1810. Revista Brasileira de Estudos de População, [S. l.], v. 34, n. 3, p. 617–633, 2017. DOI: 10.20947/S0102-3098a0035. Disponível em: https://rebep.emnuvens.com.br/revista/article/view/1031. Acesso em: 14 set. 2022.

SILVA, Antonio de Morais. Bluteau, Rafael. Diccionario da lingua portugueza composto pelo padre D. Rafael Bluteau, reformado, e accrescentado por Antonio de Moraes Silva natural do Rio de Janeiro. 1. ed. Lisboa, Simão Tadeu Ferreira, MDCCLXXXIX [1789]. 2v.: v. 1: xxii, 752 p.; v. 2: 541 p.

SILVESTRE, João Paulo. Bluteau e as Origens da Lexicografia Moderna. Imprensa Nacional da Casa da Moeda: Lisboa, 2008.

THOMPSON, E.P. A formação da classe operária inglesa, vol 1: a árvore da liberdade. 10.ed. - São Paulo: Paz e Terra, 2019.

VALLE, Hardalla Santos do; ARRIADA, Eduardo. O Liceu D. Afonso na Província de São Pedro do século XIX: aspectos históricos de uma cultura escolar (1846-1871). Diálogos, v. 16, p. 185-205, 14 mar. 2012.

VASCONCELOS, M. C. C. Pesquisa em História da Educação: Acervos, arquivos e a utilização de fontes. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science, v. 3, n. 3, p. 33-47, 27 nov. 2014.

VILAR, Pierre. Pensar historicamente. Barcelona: Crítica, 2001.

Downloads

Publicado

2023-05-30

Como Citar

MARTIARENA DE OLIVEIRA, M. A. Profissões e ofícios: as concepções acerca do trabalho e as instituições de ensino de ofícios na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul durante o século XIX. História Revista, Goiânia, v. 27, n. 1, p. 146–168, 2023. DOI: 10.5216/hr.v27i1.74059. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/74059. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: História, trabalho e cidadania