Por que estudar a antiguidade da Península Ibérica no Brasil?

Autores

  • Pedro Paulo Abreu Funari Professor Titular, IFCH/Unicamp
  • Filipe Noé Silva IFCH - Unicamp

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v25i1.61828

Resumo

O artigo inicia-se com a pergunta, porque estudar a Antiguidade da Península Ibérica no Brasil? Apresenta-se a perspectiva adotada, fundada na História Externalista da Ciência. Em seguida, é apresentada a trajetória histórica brasileira, em particular do ensino e estudo da História. Ressalta-se a relevância da História Ibérica para entender a sociedade brasileira, em sua trajetória: o predomínio da língua latina; características culturais tão importantes como o patrimonialismo, o compadrio e as formas de subordinação social; a mescla étnica, cultural e religiosa. Conclui-se pela importância do ensino e da pesquisa sobre a Antiguidade da Península Ibérica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paulo Abreu Funari, Professor Titular, IFCH/Unicamp

Doutor em Arqueologia pela USP, Livre-docente em História e Professor Titular pela Unicamp. Estágios pós-doutorais em: Stanford University/Estados Unidos; Durham University/Inglaterra; Université de Paris X, Nanterre, Paris X/França; Universitat de Barcelona/Espanha; University College London/Grã-Bretanha.

Filipe Noé Silva, IFCH - Unicamp

Doutorando em História pela Universidade de Campinas.

Downloads

Publicado

2020-09-17

Como Citar

FUNARI, P. P. A.; SILVA, F. N. Por que estudar a antiguidade da Península Ibérica no Brasil?. História Revista, Goiânia, v. 25, n. 1, p. 40–53, 2020. DOI: 10.5216/hr.v25i1.61828. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/61828. Acesso em: 14 ago. 2022.