A medicina das mulheres – As primeiras revistas de ginecologia e obstetrícia do Brasil.

Autores

  • Patrícia de Freitas

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v22i3.37089

Resumo

o presente artigo apresenta os primeiros periódicos da área médica publicados no Brasil. A ênfase maior atem-se aqueles relacionados à ginecologia e obstetrícia, em particular a Revista de Ginecologia e d’Obstetrícia que circulou de 1907 a 1978. A longa periodicidade da revista aponta este boletim como fonte importante dos estudos de gênero. Ao longo dos seus 71 anos a revista foi um repositório das falas dos especialistas que fomentaram discursos e apresentaram, na prática o resultado de suas intervenções. Fonte de pesquisa imprescindível para aqueles preocupados em observar com as vida das mulheres foi demarcada pelos profissionais da medicina. Os periódicos médicos, muitos deles esquecidos nas prateleiras das bibliotecas dos cursos de medicina, precisam do olhar das ciências humanas, pois guardam em suas páginas um mapeamento sofisticado do corpo, em especial o corpo das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia de Freitas

Possui graduação em História e Pedagogia. Doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina. Tem pesquisas na área de gênero, em especial, sobre a medicalização do corpo feminino. Estuda a questão étnico-racial e os desdobramentos decorrentes da lei 11.645. Além das pesquisas em questão, tem interesse na história da educação e prática de ensino. Atualmente é professora da Rede Pública do estado de Santa Catarina

Downloads

Publicado

2018-09-20

Como Citar

FREITAS, P. de. A medicina das mulheres – As primeiras revistas de ginecologia e obstetrícia do Brasil. História Revista, Goiânia, v. 22, n. 3, p. 184–198, 2018. DOI: 10.5216/hr.v22i3.37089. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/37089. Acesso em: 4 jul. 2022.