Letramento e Mediações Culturais em “Pueblos” Indígenas do Centro-Sul do México no Século XIX

Autores

  • Gabriela Pellegrino Soares USP/SP

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v15i1.10821

Palavras-chave:

México, século XIX, indígenas, letras, educação

Resumo

O artigo busca lançar luz sobre usos das letras herdados e mobilizados
pelos pueblos indígenas do centro-sul do México do período pós-independência.
Desde a época colonial, a escrita constituía um instrumento importante para que
as comunidades indígenas acionassem os tribunais vice-reinais em defesa de terras
e direitos. A elaboração das petições jurídicas apoiava-se no trabalho de mediadores
letrados, que transcreviam depoimentos orais. Com a independência da Nova
Espanha, em 1821, essa tradição se manteve, mas ajustada às estruturas jurídicas
do Estado em formação. Ao mesmo tempo, ao longo do século XIX, os pueblos
continuaram a lutar pela presença de um professor de primeiras letras capaz de
alfabetizar e ensinar o espanhol às novas gerações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Pellegrino Soares, USP/SP


Downloads

Publicado

2010-08-10

Como Citar

SOARES, G. P. Letramento e Mediações Culturais em “Pueblos” Indígenas do Centro-Sul do México no Século XIX. História Revista, Goiânia, v. 15, n. 1, 2010. DOI: 10.5216/hr.v15i1.10821. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/10821. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê