GRAMÁTICA E ANTOLOGIA: MEMÓRIAS CRUZADAS COM A HISTÓRIA

Autores

  • Élio Cantalício Serpa Professor do Departamento e do Mestrado em História da Universidade Federal de Goiás. Doutor em História Social pela USP.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v8i1.10476

Resumo

O Livro de Português de autoria de Cegalla, em uso no ensino fundamental nas décadas de 60 e 70, organizado como gramática, antologia e exercícios, pretendeu garantir a formação de gerações sob o princípio de que a língua e o patriotismo garantem a integração e a identidade nacional. A gramática constitui-se em tecnologia para a fala correta e unificada, pressuposta na estrutura fonética, definida a partir do Congresso da Língua Nacional Cantada, de 1937, São Paulo, e no Congresso Brasileiro de Língua Falada no Teatro, de 1954, Bahia. A antologia, ao selecionar e reunir fragmentos literários, fixa uma determinada memória nacional baseada no emprego da língua "pura" e na literatura nacionalista.

Palavras-chaves: Integração, verde-amarelismo e memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-07-21

Como Citar

SERPA, Élio C. GRAMÁTICA E ANTOLOGIA: MEMÓRIAS CRUZADAS COM A HISTÓRIA. História Revista, Goiânia, v. 8, n. 1, 2010. DOI: 10.5216/hr.v8i1.10476. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/10476. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê