Nas fronteiras dos museus

processos museológicos colaborativos com povos indígenas em museus com acervos etnográficos no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Coleção etnográfica, Povos indígenas, Brasil, Processo museológico, Descolonização museal

Resumo

Nas últimas décadas, museus etnográficos ocidentais foram criticados por seus acervos, discursos e práticas coloniais. Pressionados a mudar sua relação e comunicação com a sociedade, muitos se lançaram em experiências decoloniais, visando processos museológicos mais dialógicos, especialmente com as comunidades associadas às suas coleções, como os povos indígenas. Este artigo delineia elementos conceituais sobre essa temática, apresentando alguns resultados de uma pesquisa de pós-doutorado que analisou oito museus no Brasil. Com foco em práticas colaborativas com povos indígenas, a investigação evidenciou o que Berta Ribeiro e Lucia van Velthem anunciavam desde os anos de 1990: que tais processos ultrapassam os limites das próprias coleções, transbordando as fronteiras dos museus. Talvez seja possível afirmar que se por um lado esses casos se norteiam por princípios da descolonização, por outro, revelam diferentes configurações de mediação cultural com os indígenas. No horizonte aponta-se para o desafio de tornar essas práticas políticas institucionais.

Biografia do Autor

Adriana Russi, Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio de Janeiro, Brasil, adri.russitm@gmail.com

Doutora em Memória Social pela UNIRIO desde 2006 é docente do Departamento de Artes e Estudos Culturais da Universidade Federal Fluminense onde ministra disciplinas na graduação de Produção Cultural e na pós-graduação lato sensu em Etnoeducação. Temas de interesse: coleções etnográficas, msueologia social, educação patrimonial, artesanato e arte/educação. É lider do grupo de pesquisa do CNPq Etnoeducação, cultura e patrimônio

Referências

ABREU, Regina. Museus etnográficos e práticas de colecionamentos: antropofagia dos sentidos. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, v. 31, p. 100-125, 2005.

ALVES, Vânia Maria Siqueira; REIS, Maria Amélia Gomes de Souza. Tecendo relações entre as reflexões de Paulo Freire e a Mesa-redonda de Santiago do Chile, 1972. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio, v. 6, n. 1, p. 113-134, 2013. Disponível em: http://revistamuseologiaepatrimonio.mast.br/index.php/ppgpmus/article/viewFile/253/220. Acesso em: 20 jan. 2022.

AMES, Michael McClean. Cultural empowerment and museum: opening up anthropology through collaboration. In: PEARCE, Susan (ed.). News research in museum studies: objetcs of knowlogde. London: Athlone Press, 1990. v. 1. p. 158-173.

ATHIAS, Renato. Entre máscaras, maracás, imagens e objetos xamânicos em museus. In: PORTO, Nuno; LIMA FILHO, Manoel (org.). Coleções étnicas e museologia compartilhada. Goiânia: Editora da Imprensa Universitária, 2019. p. 165-192.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 11, p. 89-117, maio/ago. 2013.

BESSA FREIRE, José Ribamar. A descoberta do museu pelos índios. In: ABREU, Regina; CHAGAS, Mario (org.). Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009. p. 217-253.

BRASIL. Ministério da Cultura. Bases para a Política Nacional de Museus: memória e cidadania. Brasília, DF, 2003.

BRULON, Bruno. A invenção do ecomuseu: o caso do Écomusée du Cresot Montceau-les-Mines e a prática da museologia experimental. Mana, v. 21, n. 2, p. 267-295, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/mana/a/6h57ScQ68skw5dZVV6fLBxQ/?format=pdf&lang=pt Acesso em: 20 jan. 2022.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Os caminhos do enquadramento, tratamento e extroversão da herança patrimonial. In: JULIÃO, Leticia; BITTENCOURT, José Neves (org.). Caderno de diretrizes museológicas: mediação em museus – curadorias, exposições. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, 2008. v. 2. p. 16-25. Disponível em: https://identidadememoria.files.wordpress.com/2012/06/1caderno_diretrizes_museologicas_2.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

CAMPOS, José da Silva Barbosa. A exposição Fortalecimento da memória tradicional Kaingang – de geração em geração. In: CURY, Marilia Xavier (org.). Museus etnográficos e indígenas: aprofundando questões, reformulando ações. São Paulo: Secretaria de Cultura e Economia Criativa; ACAM Portinari; Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo; Museu Índia Vanuíre, 2020. p. 89-97. Disponível em: https://museuindiavanuire.org.br/wp-content/uploads/2020/10/EPQIM1-2020.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

CLIFFORD, James. Museums as contact zone. In: CLIFFORD, James. Routes: travel and translation in the late twentieth century. Cambridge: Harvard University Press, 1997. p. 188-129.

CLIFFORD, James. Museus como zonas de contato. Trad. Alexandre Barbosa de Souza, Valquiria Prates. Periódico Permanente, n. 6, 2016. Disponível em: http://www.forumpermanente.org/revista/numero-6-1/conteudo/museus-como-zonas-de-contato?searchterm=james+clifford. Acesso em: 20 fev. 2017.

CURY, Marília X. Museologia, comunicação museológica e narrativa indígena: a experiência do Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre. Museologia & Interdisciplinaridade, v. 1, n. 1, p. 49-76, 2012. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/12345. Acesso em: 19 fev. 2022.

CURY, Marília Xavier (org.). Museus e indígenas: saberes e ética – novos paradigmas em debate. São Paulo: USP; Brodowski: MAE, 2016a.

CURY, Marília Xavier (org.). Direitos indígenas no museu: novos procedimentos para uma nova política – a gestão de acervos em discussão. São Paulo: USP; Brodowski: MAE, 2016b.

CURY, Marília Xavier (org.). Museus etnográficos e indígenas: aprofundando questões, reformulando ações. São Paulo: Secretaria de Cultura e Economia Criativa: ACAM Portinari: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo: Museu Índia Vanuíre, 2020. Disponível em: https://museuindiaVanuíre .org.br/wp-content/uploads/2020/10/EPQIM1-2020.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

CURY, Marília Xavier. As coleções Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena: percurso documental, requalificação e colaboração. Anais do Museu Paulista, v. 29, p. 1-39, 2021. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/172430. Acesso em: 20 jan. 2022.

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François (ed.). Conceitos-chave de museologia. Tradução de Bruno Brulon e Marília Cury. São Paulo: Comitê Brasileiros do Conselho Internacional de Museus: Pinacoteca do Estado de São Paulo: SECULT, 2013. p. 62-63.

DORTA, Sonia Ferraro. Coleções etnográficas: 1650-1955. In: CUNHA, Manuela Carneiro (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: FAPESP: Companhia das Letras, 1992. p. 501-528.

DUARTE, Alice. Nova Museologia: os pontapés de saída de uma abordagem ainda inovadora. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio da UNIRIO/ MAST, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 99-117, 2013. Disponível em: http://revistamuseologiaepatrimonio.mast.br/index.php/ppgpmus/article/view/248 Acesso em: 20 jan. 2022.

DUARTE CÂNDIDO, Manuelina Maria; ROCHA, Bárbara Freire. Presença Karajá: biografias e biofilia em uma investigação sobre cultura material. Aceno – Revista de Antropologia do Centro-Oeste, v. 8, p. 293-307, 2021.

FRANÇA, Bianca Luiza Freire de Castro. Mil peças: coleções Ticuna do Museu Nacional no contexto da Antropologia (século XX e XXI). 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia) – Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), Rio de Janeiro, 2018.

FRANÇOZO, M.; BROEKHOVE, L. Dossiê “Patrimônio indígena e coleções etnográficas”. Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi: Ciências Humanas, v. 12, n. 3, p. 709-711, set./dez. 2017.

GOMES, Alexandre Oliveira. Museus indígenas, mobilizações étnicas e cosmopolíticas da memória: um estudo antropológico. 2019. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019.

GRUPIONI, Luis Donizete B. Os museus etnográficos, os povos indígenas e a antropologia: reflexões sobre a trajetória de um campo de relações. Revista do MAE, supl. 7, p. 21-33, 2008. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmaesupl/article/view/113491. Acesso em: 20 jan. 2022.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Guia dos museus brasileiros. Brasília, DF, 2011a.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Museus em números. Brasília, DF, 2011b.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Pesquisa Anual de Museus. Cadastro Nacional de Museus. Brasília, DF, 2014.

KREPS, Christina F. Liberating culture: cross-cultural perspective on museums, curation and heritage preservation. London: Routledge, 2003.

LEITE, Pedro Pereira. A poética da intersubjetividade: a viagem como elemento catalisador da transitoriedade na museologia. Roteiro para o seminário de museologia, Assomada. Repositório Científico Lusófona – Recil, out. 2011. Disponível em: https://recil.ensinolusofona.pt/jspui/bitstream/10437/2968/1/A%20po%c3%a9ticadaintersubjetividade.pdf. Acesso em: 19 jan. 2022.

LIMA, Leilane. A temática indígena em museus: questões sobre a diversidade cultural e os desafios para a colaboração indígena. Revista Museologia & Interdisciplinaridade, v. 10, n. 19, p. 259-278, jan./jun. 2021. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/34527/29983. Acesso em: 20 jan. 2022.

LIMA FILHO, Manuel; ATHIAS, Renato. Dos museus etnográficos às etnografias dos museus: o lugar da antropologia na contemporaneidade. In: RIAL, Carmen; SCHWADE, Elisete (org.). Diálogos antropológicos contemporâneos. Rio de Janeiro: ABA, 2016. p. 71- 83.

LÓPEZ GARCÉS, Claudia Leonor et al. Conversações desassossegadas: diálogos sobre coleções etnográficas com o povo indígena Ka’apor. Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi: Ciências Humanas, v. 12, n. 3, p. 713-734, set./dez. 2017.

MACHADO, Maria Fátima Roberto. Museu Rondon: antropologia e indigenismo na universidade da selva. Cuiabá: Entrelinhas, 2009.

MAIRESSE, François. Décoloniser la muséologie? In: BERGERON, Yves; RIVET, Michèle (ed.). The decolonisation of museology: museums, mixing, and myths of origin. Paris: ICOM: ICOFOM, 2021, p. 155-159.

MURA, Claudia. A construção de uma “tradição de glória”: técnicas expositivas e práticas discursivas dos frades capuchinhos no Museu dos Índios da Amazônia (Assis, Itália). In: OLIVEIRA, João Pacheco de; SANTOS, Rita de Cássia Melo. De acervos coloniais aos museus indígenas: formas de protagonismo e de construção da ilusão museal. João Pessoa: Editora da UFPB, 2019. p. 127-156.

NASCIMENTO JUNIOR, José; TRAMPE, Alan, SANTOS, Paula Assunção dos (org.). Mesa redonda sobre la importância y el desarrollo de los museos em el mundo contemporâneo. Mesa Redonda de Santiago de Chile, 1972. Brasília: Ibram: MinC: Programa Ibermuseos, 2012. Disponível em: http://www.ibermuseos.org/wp-content/uploads/2018/10/publicacion-mesa-redonda-vol-i-pt-es-en.pdf. Acesso em: 18 fev. 2022.

OLIVEIRA, João Pacheco de; SANTOS, Rita de Cássia Melo. De acervos coloniais aos museus indígenas: formas de protagonismo e de construção da ilusão museal. João Pessoa: Editora da UFPB, 2019.

OLIVEIRA, Lilian Débora Lima de; TOMÁS, Ana Cláudia Martins; RUSSI, Adriana. Exposição Makú Tá Muraki: a arte Baré fazendo intercâmbio com o presente – reflexões sobre uma curadoria compartilhada com povos indígenas no Museu Amazônico/ UFAM. 2022. No prelo.

OLIVEIRA, Andressa Anjos de; LIMA, Gessiara Goes de; OLIVEIRA, Isaltina Santos da Costa. A experiência do Museu India Vanuíre no processo da exposição autonarrativa com curadoria Kaingang Fortalecimento da memória tradicional Kaingang de geração em geração. In: CURY, Marilia Xavier (org.). Museus etnográficos e indígenas: aprofundando questões, reformulando ações. São Paulo: Secretaria de Cultura e Economia Criativa: ACAM Portinari: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo: Museu Índia Vanuíre, 2020, p. 116-122. Disponível em: https://museuindiaVanuíre .org.br/wp-content/uploads/2020/10/EPQIM1-2020.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

PERROTTI, Edmir. Mediação cultural: além dos procedimentos. In: SALCEDO, Diego Andres. Mediação cultural. São Carlos: Pedro & João Editores, 2016. p. 6-14.

PERROTTI, Edmir; PIERUCCINI, Ivete. A mediação cultural como categoria autônoma. Revista Informação & Informação, Londrina, v. 19, p. 1-22, 2014. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/19992. Acesso em: 20 jan. 2022.

PORTO, Nuno; LIMA FILHO, Manoel (org.). Coleções étnicas e museologia compartilhada. Goiânia: Editora da Imprensa Universitária, 2019.

RIBEIRO, Berta G.; VELTHEM, Lucia H. van. Coleções etnográficas: documentos materiais para a história indígena. In: CUNHA, Manuela Carneiro (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: FAPESP: Companhia das Letras, 1992. p. 103-112.

ROCA, Andrea. Acerca dos processos de indigenização dos museus: uma análise comparativa. Mana, v. 21, n. 1, p. 123-155, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/mana/a/PJzW9KdN6DHSj5YvGBJJKpt/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 18 fev. 2022.

RUSSI, Adriana; ABREU, Regina. “Museologia colaborativa”: diferentes processos nas relações entre antropólogos, coleções etnográficas e povos indígenas. Horizonte Antropológico, v. 25, n. 53, p. 17-46, jan./abr. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/CPrCPbWpCJPy5KjhW7fFmCx/?lang=pt. Acesso em: 20 jan. 2022.

SANTOS, Suzy. Museus indígenas e a construção de museologias afirmativas. In: CURY, Marilia Xavier (org.). Museus etnográficos e indígenas: aprofundando questões, reformulando ações. São Paulo: Secretaria de Cultura e Economia Criativa: ACAM Portinari: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo: Museu Índia Vanuíre, 2020. p. 174-190. Disponível em: https://museuindiaVanuíre .org.br/wp-content/uploads/2020/10/EPQIM1-2020.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

THOMPSON, Analucia. Objetos indígenas: do artificial ao imaterial. Antíteses, v. 7, n. 14, p. 258-281, 2014. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/viewFile/19179/15643. Acesso em: 20 jan. 2022.

VELTHEM, Lucia Hussak van. Objets de memóire: indiens, colletions et musées au Brésil. Arquivos do Centro Cultural Calouste Gulbenkian, n. 45, p. 133-149, 2003.

VELTHEM, Lucia Hussak van. O objeto etnográfico é irredutível? Pistas sobre novos sentidos e análises. Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi: Ciências Humanas, v. 7, n. 1, p. 51-66, jan./abr. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bgoeldi/a/xYrSMkw9N7hnkyhxDkMY3gt/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 jan. 2022.

VELTHEM, Lucia Hussak van; KUKAWKA, K.; JOANNY, L. Museus, coleções etnográficas e a busca do diálogo intercultural. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Série Ciências Humanas, v. 12, p. 101-114, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bgoeldi/a/xYWhW7jG9R87FwPMPshvxhb/abstract/?lang=pt. Acesso em: 20 jan. 2022.

WICHERS, Camila Azevedo de Moraes. Sobre a musealização de acervos Iny-Karajá: desafios e possibilidades para uma prática decolonial. Habitus, v. 17, n. 1, p. 53-76, 2019. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/7258/4134. Acesso em: 20 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2022-10-03 — Atualizado em 2023-07-26

Como Citar

RUSSI, A. Nas fronteiras dos museus: processos museológicos colaborativos com povos indígenas em museus com acervos etnográficos no Brasil. Hawò, Goiânia, v. 3, 2023. Disponível em: https://revistas.ufg.br/hawo/article/view/72162. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Ritxoko é ouro!"