Educação para saúde como estratégia de intervenção de enfermagem junto às pessoas portadoras de diabetes

Autores

  • Maria Aparecida Barbosa Rêgo Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10i1.8024

Palavras-chave:

Educação em saúde, Enfermagem em saúde comunitária, Diabetes mellitus.

Resumo

Enquanto enfermeira do Programa Saúde da Família foi possível observar que os portadores de diabetes, do município de Nova Aurora-GO, não conseguiam reduzir seus níveis glicêmicos, ainda que recebessem orientações freqüentes da equipe de saúde. O estudo objetivou analisar um processo de educação para a saúde junto a portadores de diabetes utilizando uma aproximação entre os pressupostos teóricos de Paulo Freire e metodológicos do Arco de Maguerez adaptado por Bordenave e Pereira e avaliar os resultados de hemoglobina glicada antes e após a implementação deste plano educativo. Trata-se de pesquisa avaliativa processual, com abordagem qualitativa e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Goiás. Dezenove portadores de diabetes participaram da ação educativa e dezessete do teste de hemoglobina glicada. Todos assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido e foram informados acerca da proposta de intervenção. A ação educativa foi realizada em seis encontros. A dosagem de hemoglobina glicada ocorreu no início da ação educativa e cinco meses após seu encerramento. As falas do grupo, durante os encontros, foram gravadas e analisadas de acordo com Bardin. Na observação da realidade as categorias emergentes se relacionavam à alimentação, ao enfrentamento e aos sentimentos de êxito e frustração frente à doença. Os temas dieta, hipoglicemia / hiperglicemia e a fisiopatologia do diabetes melitus foram eleitos como pontos-chave a serem teorizados. Nesta etapa emergiram as categorias: dependência do profissional de saúde e autonomia / independência para a escolha de seus alimentos; ausência de conhecimento e o conhecimento em nível do senso comum. Na fase de hipóteses de solução o grupo construiu cartazes educativos que evidenciaram duas categorias: medidas preventivas de promoção da saúde específicas para o grupo e promoção da saúde e diagnóstico precoce direcionado à comunidade. A aplicação à realidade foi efetivada mediante relatos dos portadores de diabetes quanto às mudanças em suas habilidades e atitudes e o alcance da autonomia e independência conquistadas por meio do domínio de conhecimentos. Quanto aos resultados da hemoglobina glicada, o test “t”, mostra diferença estatisticamente significativa, com diminuição dos níveis plasmáticos do elemento dosado. O estudo evidenciou que a atividade educativa dialógica foi capaz de contribuir para o despertar do potencial reflexivo, critico e criativo do grupo, apresentando-se como uma importante estratégia de intervenção para o enfermeiro que trabalha na perspectiva de emancipação de seus clientes.

Palavras chave: Educação em saúde; Enfermagem em saúde comunitária; Diabetes mellitus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/11/2009

Como Citar

1.
Rêgo MAB. Educação para saúde como estratégia de intervenção de enfermagem junto às pessoas portadoras de diabetes. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 1º de novembro de 2009 [citado 22º de maio de 2022];10(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/8024

Edição

Seção

Resumo