O trabalho em emergência: entre o prazer e o sofrimento

Autores

  • Paulo Jorge dos Santos Almeida Universidade Federal de Santa Catarina
  • Denise Elvira Pires de Pires Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v9i3.7445

Palavras-chave:

Serviço hospitalar de emergência, Equipe de assistência ao paciente, Satisfação no trabalho, Estresse psicológico.

Resumo

O trabalho nos serviços de urgência e emergência hospitalar pode ser satisfatório e fonte de prazer, mas, muitas vezes, cansativo e fonte de sofrimento. Este estudo tem como objetivo identificar os fatores causadores de prazer e de sofrimento no cotidiano de uma equipe que atua num serviço de emergência. Para tal foi efetuada uma pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória e foram utilizadas como técnicas de coleta de dados a entrevista semi-estruturada e a observação sistemática. O estudo foi realizado entre Novembro de 2006 e Maio de 2007, num hospital de ensino localizado na região sul do Brasil. Nele participaram 17 profissionais de saúde, cerca de 20% dos trabalhadores que constituem a equipe de saúde do serviço de emergência. Os resultados obtidos apontam como fontes de sofrimento no trabalho o acesso indiscriminado à emergência, as cargas elevadas de trabalho e o espaço físico inadequado. Como fontes de prazer foram apontadas a possibilidade de ajudar os usuários, a possibilidade de exercer a profissão na plenitude, a dinâmica do serviço e a pouca existência de rotinas. O estudo permite concluir que os trabalhadores da emergência estudada vivenciam diariamente prazer e sofrimento no trabalho, numa relação dialética que lhes permite manter o equilíbrio psíquico.

Palavras chave: Serviço hospitalar de emergência; Equipe de assistência ao paciente; Satisfação no trabalho; Estresse psicológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16/09/2009

Como Citar

1.
Almeida PJ dos S, Pires DEP de. O trabalho em emergência: entre o prazer e o sofrimento. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 16º de setembro de 2009 [citado 27º de maio de 2022];9(3). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/7445

Edição

Seção

Artigo Original