Ensino remoto emergencial em tempos de pandemia: Percepções de concluintes do curso de licenciatura em Educação Física da UFPR

Autores

  • Karine Silva Ramos dos Santos Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil karineramospersonal@gmail.com
  • Lucélia Justino Borges Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil lucelia.borges@ufpr.br https://orcid.org/0000-0002-0142-3641

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v25.72344

Palavras-chave:

Palavras-chave: Ensino remoto. Ensino superior. Educação física. Covid-19. Estágio supervisionado. Formação docente.

Resumo

O Ensino Remoto Emergencial (ERE) foi adotado por algumas instituições de ensino durante a pandemia da COVID-19. Objetivou-se analisar a percepção de concluintes do curso de Licenciatura em Educação Física (EF) sobre o ERE. As participantes relataram ter bom ambiente para acompanhar as aulas remotas, não pensaram em trancar a matrícula/desistir do curso e sentiram tristes por terem concluído pelo ERE. Foi indicado redução do interesse pelas aulas remotas e percepção que o ERE prejudicou a formação docente, além da falta de interação, distanciamento das aulas práticas e não poder estar presencialmente na escola nos estágios. A maior flexibilização de horário foi o aspecto positivo indicado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-10-31

Como Citar

SILVA RAMOS DOS SANTOS, K.; JUSTINO BORGES, L. Ensino remoto emergencial em tempos de pandemia: Percepções de concluintes do curso de licenciatura em Educação Física da UFPR. Pensar a Prática, Goiânia, v. 25, 2022. DOI: 10.5216/rpp.v25.72344. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/72344. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais