Contra as regras do jogo

a emergência da crítica cultural na educação física em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v25.68688

Palavras-chave:

Subjetivação, Cultura Corporal, Crítica, Currículo

Resumo

Trata-se de refletir sobre o intenso uso da internet como mediação das relações na pandemia do coronavírus, que se relaciona com os modos de subjetivação e construção dos discursos em torno do corpo numa sociedade de consumo. Este ensaio percorre duas hipóteses: 1) o vasto acesso à internet ligado a uma concepção acrítica de cultura corporal submete os processos de subjetivação a uma semiformação; 2) a falência da crítica atualiza processos de assujeitamento relacionados à alienação, o que também impede uma educação mais democrática. Com isso, conclui-se que os currículos críticos e pós-críticos, neste momento, são necessários pela possibilidade da crítica como prática de liberdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alvaro Rego Millen Neto, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UFVSF), Petrolina, Pernambuco, Brasil alvaro.millen@univasf.edu.br

Downloads

Publicado

2022-02-25

Como Citar

ALVES SANTOS, S.; REGO MILLEN NETO, A. Contra as regras do jogo : a emergência da crítica cultural na educação física em tempos de pandemia. Pensar a Prática, Goiânia, v. 25, 2022. DOI: 10.5216/rpp.v25.68688. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/68688. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Seção temática - Covid 19 e os desafios para a Educação Física