INTERVENÇÃO PRECOCE: REFLEXÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA CEGA ATÉ DOIS ANOS DE IDADE

Autores

  • Gérson Carneiro de Farias

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v7i1.68

Resumo

O artigo envolve a reflexão do processo de desenvolvimento infantil da criança cega até dois anos de idade (período sensório-motor): as aquisições motoras tais como o desenvolvimento da preensão, da linguagem, a noção do objeto, o vínculo mãe/criança, bem como a análise do programa de atendimento em intervenção precoce. A reflexão mostra que o desenvolvimento infantil se dá pelo movimento, favorecendo as estruturas do pensamento e da linguagem, assim como a relação com o ambiente e com as pessoas, particularmente com a mãe. A análise do programa mostra que seu sucesso depende do atendimento direto prestado à criança, com regularidade e continuidade do trabalho em casa, e à família com orientações e integração de esforços. PALAVRAS-CHAVE: Desenvolvimento sensório-motor – Programa de atendimento em intervenção precoce e criança cega.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-11-15

Como Citar

CARNEIRO DE FARIAS, G. INTERVENÇÃO PRECOCE: REFLEXÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA CEGA ATÉ DOIS ANOS DE IDADE. Pensar a Prática, Goiânia, v. 7, n. 1, p. 85–102, 2006. DOI: 10.5216/rpp.v7i1.68. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/68. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão