Cultura escolar evangélica: implicações sobre os sentidos das práticas corporais

Autores

  • Marcia Cristina Rodrigues da Silva Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, marciacoffani@hotmail.com https://orcid.org/0000-0002-5008-3380
  • Cleomar Ferreira Gomes Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, gomescleo.cg@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v24.60524

Palavras-chave:

Cultura Escolar Evangélica., Educação do Corpo., Práticas Corporais.

Resumo

O texto comunica as investigações do/no/sobre o cotidiano de uma escola evangélica assembleiana marcadas por relações e tensões sobre a educação do corpo para reflexão dos sentidos das práticas corporais dentro e fora do contexto escolar. A pesquisa é qualitativa, etnográfico-descritiva, foram analisadas fontes documentais; observações do cotidiano escolar e das aulas de Educação Física; entrevistas com os jovens alunos do Ensino Médio. Sinaliza-se a importância da compreensão de que para a cultura escolar de escolas evangélicas tradicionais, as práticas corporais são objeto de interdição. O desafio posto é se valer de “micro negociações” que fortaleçam relações dialógicas entre a Educação Física e a cultura escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Cristina Rodrigues da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, marciacoffani@hotmail.com

PROFESSORA DOUTORA EM EDUCAÇÃO. ATUA NA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO

Cleomar Ferreira Gomes, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, gomescleo.cg@gmail.com

Professor Doutor em Educação pela FE USP.

Atua na Faculdade de Educação Física - UFMT.

Professor Orientador dos Programas de Mestrado e Doutorado em Educação IE - UFMT e Mestrado Profissional em Educação Física - PROEF - UFMT. 

Downloads

Publicado

28-06-2021

Como Citar

Rodrigues da Silva, M. C., & Gomes, C. F. (2021). Cultura escolar evangélica: implicações sobre os sentidos das práticas corporais. Pensar a Prática, 24. https://doi.org/10.5216/rpp.v24.60524

Edição

Seção

Artigos Originais