A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA, O KINESIOLOGOS E “O HOMEM QUE SABIA JAVANÊS”

Autores

  • Edison de Jesus Manoel Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo - São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v20i1.39536

Palavras-chave:

Educação Física, Formação, Cinesiologia, Universidade

Resumo

Trata o presente ensaio da formação em educação física a partir da análise do conto “O homem que sabia javanês” de Lima Barreto.  A tese é a de que a fragmentação na produção do conhecimento descrita pelo mito do Kinesiologos se manifesta na formação profissional e acadêmica da área pela banalização do que é conhecer orientada para uma pretensa formação eclética e assim pseudo-erudita, motivo pelo qual o conto de Barreto nos serve de inspiração e reflexão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edison de Jesus Manoel, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo - São Paulo

Professor Titular da Universidade de São Paulo. Licenciado em Educação Física (USP, 1980); Especializado em Técnica Esportiva - Atletismo (USP, 1983); Mestre em Educação Física (USP, 1989); Doutor em Psicologia do Desenvolviemnto/Experimental (University of Sheffield, Inglaterra, 1993); Livre Docente em Pedagogia do Movimento Humano (USP, 1998). Coordenador do Grupo de Estudo do Desenvolvimento da Ação e Intervenção Motora - Laboratório de Pedagogia do Movimento Humano - EEFEUSP.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1732682414878070

Downloads

Publicado

2017-03-31

Como Citar

DE JESUS MANOEL, E. A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA, O KINESIOLOGOS E “O HOMEM QUE SABIA JAVANÊS”. Pensar a Prática, Goiânia, v. 20, n. 1, 2017. DOI: 10.5216/rpp.v20i1.39536. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/39536. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Ensaios