A PERCEPÇÃO DOS FUTUROS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE A PREPARAÇÃO NO TRABALHO COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

  • Vickele Sobreira Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM Programa de Pós Graduação em Educação Física - Mestrado
  • Solange Rodovalho Lima Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Educação Física
  • Vilma Lení Nista-Piccolo Universidade de Sorocaba Programa de Pós Graduação em Educação.
Palavras-chave: Formação de professores. Cursos de Licenciatura. Atuação profissional.

Resumo

Nesse estudo buscamos identificar aspectos que influenciam positiva e negativamente numa futura atuação do professor de Educação Física, no que concerne às percepções de acadêmicos a respeito do preparo no desenvolvimento de atividades práticas desenvolvidas em um projeto de extensão que atende pessoas com deficiência. Foi possível perceber que há um distanciamento entre o que é trabalhado nas disciplinas curriculares e as práticas vivenciadas na formação inicial. A descontextualização da estrutura curricular do curso, evidenciada nos discursos dos futuros professores, aponta a necessidade de reflexões a respeito de uma reorganização do currículo dos cursos de formação de professores da área e as suas implicações na atuação profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vickele Sobreira, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM Programa de Pós Graduação em Educação Física - Mestrado
Graduada em Educação Física pela Universidade Federal de Uberlândia - FAEFI/UFU (2007). Especialista em Educação Física e Deficiência, pela Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (2008). Mestranda no curso de pós graduação Stricto Sensu / Mestrado da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM, na linha de pesquisa Formação e Atuação Profissional em Educação Física e Esportes.Membro Integrante do grupo de Pesquisa Potencial, da UFTM, que se dedica aos estudos sobre formação e atuação profissional de professores de Educação Física e sobre as Inteligências Múltiplas.
Solange Rodovalho Lima, Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Educação Física
Graduação em Educação Física e em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlândia. Doutorado em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (2009) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (1998). Professora adjunto III da Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (FAEFI/UFU). Tem experiência e desenvolve projetos de ensino, pesquisa e extensão na área de Educação Física e Educação Especial, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, educação física escolar, educação física adaptada e inclusão escolar. Coordenadora do programa de extensão Programa de Atividades Físicas para Pessoas com Deficiência da FAEFI/UFU.
Vilma Lení Nista-Piccolo, Universidade de Sorocaba Programa de Pós Graduação em Educação.
Licenciada em Educação Física e Bacharel em Fisioterapia, Mestre em Educação e Doutora em Psicologia Educacional pela Universidade Estadual de Campinas. Foi professora da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, onde desenvolveu vários projetos de pesquisa e de extensão, criou diferentes grupos de estudo e foi chefe do Departamento de Educação Motora. Foi professora titular da Universidade Sao Judas Tadeu, onde criou e coordenou o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Física, sendo a responsável pela implantação dos Cursos de Mestrado e Doutorado na área. Também implantou o curso de graduação em Educação Física e Esporte da Metrocamp (Campinas), onde criou o Instituto do Esporte. Tem experiência com pesquisas e publicações nas seguintes Linhas de Pesquisa: Cotidiano Escolar, Formação Docente, Educação Física escolar, Ginástica e Inteligência Corporal Cinestésica. Desde 2000, quando estudou na Universidade de Harvard, tem se dedicado aos estudos das Inteligências Humanas. Atualmente integra o Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba. Coordena o Grupo de Pesquisa POTENCIAL, que tem como foco de estudo as diferentes questões que permeiam o cotidiano escolar, os conteúdos, métodos de ensino e os processos de avaliação ali desenvolvidos, além de identificar a percepção dos integrantes desse ambiente sobre inteligência humana. É pesquisadora do CNPq.
Publicado
31-03-2015
Como Citar
Sobreira, V., Lima, S., & Nista-Piccolo, V. (2015). A PERCEPÇÃO DOS FUTUROS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE A PREPARAÇÃO NO TRABALHO COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Pensar a Prática, 18(1). https://doi.org/10.5216/rpp.v18i1.32719
Seção
Artigos Originais