A AVALIAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM RETRATO DA PRÁTICA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA REDE MUNICIPAL DE CUIABÁ

Autores

  • Fábio Ferreira da Silva UNIVAG - Centro Universitário Várzea Grande
  • Sarah Emanuelle Wanderlei Barbosa de Moura UNIVAG - Centro Universitário de Várzea Grande
  • Raquel Stoilov Pereira UNIVAG - Centro Universitário de Várzea Grande

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v18i2.31373

Palavras-chave:

Avaliação. Docentes. Educação Física e Treinamento.

Resumo

Esta pesquisa do tipo descritiva com abordagem qualitativa buscou identificar a compreensão dos professores de Educação Física da rede pública municipal de Cuiabá em relação à avaliação da aprendizagem. Ocorreu em 52 escolas, com a participação de 92 professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. A partir do questionário adotado identificamos que embora 66% dos professores entendam o ato de avaliar como algo fácil e 75% reconheçam que os conhecimentos adquiridos durante a graduação foram suficientes ou parcialmente suficientes, há equívocos em relação ao conceito e função atribuídos a avaliação. Constatamos um engessamento por parte da SME de Cuiabá em relação aos descritores de avaliação, culminando na realização de uma tarefa burocrática, o que precisa ser revisto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Ferreira da Silva, UNIVAG - Centro Universitário Várzea Grande

Acadêmico do curso de Educação Física

http://lattes.cnpq.br/0194126355970916

Sarah Emanuelle Wanderlei Barbosa de Moura, UNIVAG - Centro Universitário de Várzea Grande

Licenciada em Educação Física

http://lattes.cnpq.br/4887028416483452

Raquel Stoilov Pereira, UNIVAG - Centro Universitário de Várzea Grande

Mestre em Educação Física

http://lattes.cnpq.br/9698490424500507

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

SILVA, F. F. da; MOURA, S. E. W. B. de; PEREIRA, R. S. A AVALIAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM RETRATO DA PRÁTICA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA REDE MUNICIPAL DE CUIABÁ. Pensar a Prática, Goiânia, v. 18, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/rpp.v18i2.31373. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/31373. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais