O QUE OS BEBÊS SABEM? UM MODO DIRENENCIADO DE PENSÁ-LOS

Autores

  • Gerson Carneiro de Farias FEF-UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v11i2.2396

Palavras-chave:

bebê, intersubjetividade, teoria da mente, comportamento visual, auditivo, linguagem e aprendizagem,

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar um modo diferenciado de pensar o bebê: um ser que é reflexo, contudo cortical também, que está motivado para a comunicação com os outros; que reage à luz, ao som e à voz da mãe; que sente e sabe que existe a partir do fim do segundo trimestre de gestação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gerson Carneiro de Farias, FEF-UFG

Professor da Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Goiás, atualmente trabalha com pessoas deficientes e ministra as disciplinas de Metodologia do Ensino e da Pesquisa em Ginástica Adaptada, Sujeito Aprendizagem em Educação Física e ainda a disciplina Teorias de Aprendizagem e Reeducação Motora I e II na Faculdade de Musicoterapia.

Downloads

Publicado

2008-08-15

Como Citar

FARIAS, G. C. de. O QUE OS BEBÊS SABEM? UM MODO DIRENENCIADO DE PENSÁ-LOS. Pensar a Prática, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 115–124, 2008. DOI: 10.5216/rpp.v11i2.2396. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/2396. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Seção Temática