Distribuição de conteúdo audiovisual: configurações de fronteiras em escala mundial

Autores

  • Chalini Torquato Gonçalves de Barros Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5216/c&i.v11i2.7487

Palavras-chave:

Capitalismo.produção cultural.diversidade.relações internacionais e emancipação

Resumo

A caracterização contemporânea do cenário marcado pela globalização dos mercados dá o tom do processo de reestruturação capitalista que aqui é estudado, fruto de um amadurecimento histórico do sistema de produção que reformula suas formas de expansão assimilando novos setores sociais que antes lhe estavam alheios, como foi o caso da produção cultural. Tendo se comprovado como fundamental para a consolidação de um imperialismo colonial contemporâneo, a indústria cultural atua na reprodução simbólica estratégica da hegemonia consentida de Gramsci e é fortemente defendida via liberalização do setor pelos organismos internacionais. A idéia aqui é estabelecer uma convergência teórica entre as teorias marxista e crítica das Relações Internacionais, juntamente com uma contribuição fundamental da Economia Política da Comunicação a fim de compreender as lógicas que orientam a distribuição audiovisual na contemporaneidade. Estabelecendo um parâmetro discursivo entre a mercadoria cultural e o que é defendido por alguns países como "exceção cultural".

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-09-18

Como Citar

BARROS, C. T. G. de. Distribuição de conteúdo audiovisual: configurações de fronteiras em escala mundial. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 11, n. 2, p. 197–207, 2009. DOI: 10.5216/c&i.v11i2.7487. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/7487. Acesso em: 24 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos