A influência das plataformas digitais no trabalho dos beatmakers de hip-hop de Salvador

Autores

  • André Lemos Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, email: almlemos@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-9291-6494
  • Gabriel Bastos Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, email: gabrielvieirab87@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v25.71322

Palavras-chave:

plataformização, música, trabalho, hip hop

Resumo

O presente artigo busca entender qual o papel das materialidades digitais das plataformas de streaming de música e redes sociais (Spotify, SoundCloud e Instagram) no processo de composição de beats de hip-hop e na rotina de trabalho como um todo dos beatmakers de Salvador, Bahia. Através de análises descritivas dessas plataformas e de entrevistas com os músicos, buscamos apontar para algumas evidências que revelam a influência do fenômeno da plataformização na música e nas mecânicas de trabalho desses artistas. Como conclusão, afirmamos que o trabalho dos beatmakers só pode ser entendido se levarmos em consideração as transformações causadas pelos processos de plataformização da produção musical. Os músicos tiveram que aprender a utilizar as gramáticas materiais dessas plataformas para veicular e vender suas músicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Lemos, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, email: almlemos@gmail.com

Lab404 - Facom/UFBA, Salvador, Bahia.

Gabriel Bastos, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, email: gabrielvieirab87@gmail.com

Lab404 - Facom/UFBA, Salvador, Bahia.

Referências

BUCHER, T. If...Then. Algorithmic Power and Politics. Oxônia, Reino Unido: Oxford University Press, 2018.

CASILLI, A.; POSADA, J. The Platformization of Labor and Society. In: GRAHAM, M.; DUTTON, W. H. (Orgs.). Society and the Internet: How networks of information and communication are changing our lives. Oxônia, Reino Unido: Oxford University Press, 2019. p. 293-306.

COTTER, K. Playing the Visibility Game: How Digital Influencers and Algorithms Negotiate Influence on Instagram. New Media & Society, v. 21, n. 4, p. 895-913, 2018.

ERIKSSON, M.; FLEISCHER, R.; JOHANSSON, J.; SNICKARS, P.; VONDERAU, P. Spotify Teardown: Inside the Black Box of Streaming Music. Cambridge, MA, EUA: MIT Press, 2019.

GROHMANN, R. Plataformização do trabalho: entre dataficação, financeirização e racionalidade neoliberal. Revista Eptic, v. 22, n. 1, p. 106-122, 2020.

HESMONDHALGH, D.; JONES, E.; RAUH, A. SoundCloud and BandCamp as Alternative Music Platforms. Social Media + Society, v. 5, n. 4, p. 2056305119883429, 2019.

KIM, J.; YU, J. Platformizing Webtoons: The Impact on Creative and Digital Labor in South Korea. Social Media + Society, v. 5, n. 4, p. 2056305119880174, 2019.

LEMOS, A. Plataformas, Dataficação e Performatividade Algorítmica (PDPA). Desafios Atuais da Cibercultura. In: PRATA, N.; PESSOA, S. C. (Orgs). Fluxos Comunicacionais e Crise da Democracia. São Paulo: Intercom, 2020, pp 107-116.

MORRIS, J. W. Music Platform and the Optimization of Culture. Social Media + Society, v. 6, n. 3, p. 2056305120940690, 2020.

NEGUS, K. From creator to data: the post-record music industry and the digital conglomerates. Media, Culture and Society, v. 41, n. 3, p. 367-384, 2019.

NIEBORG, D.; POELL, T. The platformization of cultural production: Theorizing the contingent cultural commodity. New Media & Society, v. 20, n. 11, p. 4275-4292, 2018.

VAN DIJCK J., POELL, T., DE WALL, M. The Platform Society: Public values in a connective world. Oxônia, Reino Unido: Oxford Press, 2018.

VAN DOORN, N. Platform labor: on the gendered and racialized exploitation of low-income service work in the ‘on-demand’ economy. Information, Communication & Society, v. 20, n. 6, p. 898-914, 2017.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

LEMOS, A.; BASTOS, G. . A influência das plataformas digitais no trabalho dos beatmakers de hip-hop de Salvador. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 25, p. 93–113, 2022. DOI: 10.5216/ci.v25.71322. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/71322. Acesso em: 27 set. 2022.