Circulação e afetação em telas

análise da edição “100 mil mortos por Covid-19” no Jornal Nacional

Autores

  • Gustavo Teixeira de Faria Pereira Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil, gustavo_tfp@yahoo.com.br
  • Iluska Maria da Silva Coutinho Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil, iluskac@globo.com https://orcid.org/0000-0001-5597-9453

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v25.68699

Palavras-chave:

Telejornalismo, Twitter, Jornal Nacional, Circulação, Afetação

Resumo

O objetivo do presente trabalho é compreender as novas lógicas de circulação de informações que se estabelecem com as redes sociais e de que forma o telejornalismo consegue afetar sujeitos que antes eram receptores e agora atuam como produtores e reprodutores de conteúdo. Para esta observação, tomaremos como objeto o Jornal Nacional em dois momentos: na tela da TV e no Twitter, observando conteúdos transmitidos/publicados e de que forma o JN busca alcançar o público antes, durante e após sua veiculação. A metodologia será a Análise da Materialidade Audiovisual, que busca investigar o audiovisual como uma unidade. Tomaremos como recorte a edição de 8 de agosto de 2020, dia em que o Brasil chegou aos 100 mil mortos por Covid-19. Como resultados preliminares destacamos a dramaturgia do telejornalismo e a utilização de novas telas para a expansão de conteúdo e interação por parte do telejornalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Teixeira de Faria Pereira, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil, gustavo_tfp@yahoo.com.br

Doutorando em Comunicação. Mestre e Jornalista pela UFJF. Integrante da Rede Telejor e do Núcleo de Jornalismo e Audiovisual (NJA).

Iluska Maria da Silva Coutinho, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil, iluskac@globo.com

Professora titular da Universidade Federal de Juiz de Fora é jornalista formada pela Universidade Federal do Espírito Santo (1993), mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade de Brasília (1999) e doutora em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (2003), com estágio doutoral na Columbia University (NY). Pós-doutora em Comunicação (Universidade Nova de Lisboa), integra o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF e coordena o grupo de pesquisa Núcleo de Jornalismo e Audiovisual (NJA).

Referências

ALBUQUERQUE, A. As três faces do quarto poder. In: Encontro da Compós, 18, 2009, Belo Horizonte. Anais [...], Belo Horizonte: PUC-MG, 2009. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_1068.pdf. Acesso em: 10 mar. 2021.

ALLCOTT, H.; GENTZKOW, M. Social Media and Fake News in the 2016 Election. Journal of Economic Perspectives, v. 31, n. 2, p. 211–236, 2017. Disponível em: https://web.stanford.edu/~gentzkow/research/fakenews.pdf. Acesso em: 15 abr. 2021.

BERGER, P.; LUCKMANN, T. Modernidade, pluralismo e crise de sentido: a orientação do homem moderno. Petrópolis: Vozes, 2004.

BRAGA, J. L. Circuitos versus campos sociais. In: MATOS, M. A.; JANOTTI JUNIOR, J.; JACKS, N. Mediação & Midiatização. Salvador: EDUFBA, 2012. p. 31-52.

BRUNS, A. Gatewatching: Collaborative Online News Production. New York: Peter Lang. 2005.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COUTINHO, I. (Org.). Dramaturgia do telejornalismo: a narrativa da informação em rede e nas emissoras de televisão de Juiz de Fora-MG. Rio de Janeiro: Mauad Editora, 2012.

COUTINHO, I.; EMERIM, C. Lugares, espaços, telas e reconhecimento: o local do telejornalismo na contemporaneidade. In: COUTINHO, I.; EMERIM, C. (Orgs.). Telejornalismo local: teorias, conceitos e reflexões. Florianópolis: Insular, 2019. p. 23-40.

COUTINHO, I. O telejornalismo narrado nas pesquisas e a busca por cientificidade: A análise da materialidade audiovisual como método possível. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 39., 2016, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: USP, 2016. Disponível em http://portalintercom.org.br/anais/nacional2016/resumos/R11-3118-1.pdf. Acesso em: 25 mar. 2021.

DUTTON, W. H. Through the Network (of Networks) – the Fifth Estate. Journal Prometheus- Critical Studies in Innovation, v. 27, p. 1-15, 2009.

EMERIM, C. et al. Metodologias de pesquisa em telejornalismo. Sessões do Imaginário, v. 22, n. 37, p. 2-9, 2017.

FAUSTO NETO, A. Fragmentos de uma analítica da midiatização. Matrizes, v. 1, n. 2, p. 89-105, abr. 2008.

FAUSTO NETO, A. A circulação além das bordas In: Mediatización, sociedad y sentido. 1 ed. Rosário: Departamento de Ciencias de la Comunicación - UNR, v. 1, 2010.

FRANCO, C. F. Imagicidades telejornalísticas. Comunicação & Informação, v. 21, n. 3, p. 123-135, 2018.

GOMES, I. M. M. Modo de Endereçamento no Telejornalismo do Horário Nobre Brasileiro: o Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão. In: Encontro dos Núcleos de Pesquisa da Intercom, 5., 2005, Rio de Janeiro. Anais [...] Rio de Janeiro: Intercom, 2005. Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/74277217742772103772621605140235486090.pdf. Acesso em: 17 mar. 2021.

PRIMO, A. F. T. Interação Mútua e Interação reativa: uma proposta de estudo. Revista FAMECOS, v. 7, n. 12, p. 81-92, 2000.

RECUERO, R. Redes Sociais na Internet, Difusão de Informação e Jornalismo: Elementos para discussão. In: SOSTER, Demétrio de Azeredo; FIRMINO, Fernando. (Org.). Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2009.

SEIXAS, F. Micro-blogging. In: SPYER, J. (Org.). Para entender a Internet: noções, práticas e desafios da comunicação em rede. Disponível em: http://stoa.usp.br/oerworkshop/files/1333/7925/Para+entender+a+Internet.pdf. Acesso em: 18 mar. 2021.

TRASEL, M. A pluralização no webjornalismo participativo: uma análise das intervenções no Wikinews e no Kuro5hin, 2007. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Florianópolis, 2007.

VERÓN, E. A televisão, este fenômeno ‘massivo’ que conhecemos, está condenada a desaparecer. In: Media Américs Semiotica e analisis del media e América Latina. Cartamn Edizioni: Italia, 2007.

VIZEU, A. Telejornalismo como lugar de referência: a redução da complexidade nas sociedades contemporâneas. In: Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, 6., 2008, São Paulo. VI SBPJOR. Anais [...], São Paulo, 2008.

WARDLE, C.; DERAKHSHAN, H. Information disorder: Toward an interdisciplinary framework for research and policy making, Council of Europe report, 2017. Disponível em: https://rm.coe.int/information-disordertoward-an-interdisciplinary-framework-for-researc/168076277c. Acesso em: 15 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2022-12-29

Como Citar

TEIXEIRA DE FARIA PEREIRA, G.; COUTINHO, I. M. da S. Circulação e afetação em telas: análise da edição “100 mil mortos por Covid-19” no Jornal Nacional. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 25, p. 890–913, 2022. DOI: 10.5216/ci.v25.68699. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/68699. Acesso em: 19 maio. 2024.