Visibilidade comunicativa na Internet: uma análise da fan page de Marcelo Freixo

Autores

  • Wesley Pereira Grijó Universidade Federal de Santa Maria
  • Ícaro Gracian da Silva Vieira Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v20i3.42523

Palavras-chave:

Redes sociais online. Visibilidade. Comunicação política.

Resumo

A partir da interface entre Comunicação e Política, o artigo aborda como a perspectiva da visibilidade é materializada na fan page do político Marcelo Freixo, levando em consideração os temas e a periodicidade com que são trabalhadas cada postagem. Para essa finalidade, o estudo é de abordagem quanti-qualitativa e utiliza para coleta de dados as pesquisas bibliográfica e documental no ambiente da Internet. No que concerne aos resultados, o agente político e sua assessoria realizam, em média, quatro publicações diárias na página oficial, agrupadas em cinco temáticas: promoção de ideias e projetos; ataques e respostas a adversários; divulgação de eventos; mobilização, engajamento e apoio; mensagens alheias à política. Nelas, verifica-se a tentativa de engajar e mobilizar os eleitores para que abracem as causas e ideias do político, aproveitando a projeção e manutenção da visibilidade conquistadas nas eleições também fora do período eleitoral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wesley Pereira Grijó, Universidade Federal de Santa Maria

Professor adjunto da Universidade Federal de Santa Maria. Doutor em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Goiás. Graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Maranhão. Coordenador do Núcleo de Audiovisual, Imagens técnicas e Práticas socioculturais (CNPq/UFSM).

Ícaro Gracian da Silva Vieira, Universidade Federal do Pampa

Graduando do curso de Relações Públicas com Ênfase em Produção Cultural da Universidade Federal do Pampa.

Referências

BARDIN L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

CÂMARA, Alexandre; PORTO, Ed. Os seguidores da democracia: um estudo sobre o papel das redes sociais na campanha de Barack Obama. Culturas Midiáticas, v. 2, n. 2, 2011. Disponível em: <http://www.okara.ufpb.br/ojs/index.php/cm/article/download/11699/6724>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

CASTRO, Ana Marina de; FERREIRA, Valéria de Melo. Internet e redes sociais, uma nova configuração da democracia midiática: análise dos perfis do Facebook dos três prováveis pré-candidatos às eleições presidenciais de 2014. II Semana de Pós-Graduação em Ciência Política: Repensando a Trajetória do Estado Brasileiro. São Carlos, 2014, Anais... 1. s/p

DALFOVO, Michael Samir; LANA, Rogério Adilson; SILVEIRA, Amélia. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, v. 2, n. 3, p. 1-13, 2008. Disponível em: <http://rica.unibes.com.br/index.php/rica/article/viewPDFInterstitial/243/234>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

DANTAS, Edmundo Brandão. Marketing político: técnicas e gestão no contexto brasileiro. São Paulo: Atlas, 2010.

EXAME. Para nova geração, lugar de política é no Facebook, 2015. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/para-nova-geracao-lugar-de-politica-e-no-facebook>. Acesso em: 23 de jun. 2016.

FERRARI, Maria Aparecida. Relações públicas e a opinião pública no composto do marketing político. In: RETZ, Célia. Opinião Pública e Marketing Político. Bauru: FAAC, 2007.

FRASER, Matthew; DUTTA, Soumitra. Barack Obama and the Facebook election. US News, v. 19, 2008. Disponível em: <http://www.usnews.com/articles/opinion/2008/11/19/barack-obama-and-the-facebook-election.html>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

G1. Brasil tem mais de 204 milhões de habitantes, segundo o IBGE, 2015. Disponível em: <http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/08/brasil-tem-204-milhoes-de-habitantes-segundo-o-ibge.html>. Acesso em: 23 de jun. 2016.

G1. Facebook atinge marca de 1 bilhão de usuários todos os dias, 2016. Disponível em: <http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2016/04/facebook-atinge-marca-de1-bilhao-de-usuarios-todos-os-dias.html>. Acesso em: 23 de jun. 2016.

GIL, Antônio Carlos. Dados e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, Neusa Demartini. Comunicação Política: olhares convergentes e divergentes. Revista ECO-Pós, v. 12, n. 3, 2009. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos/article/download/933/873>. Acesso em: 24 de fev. de 2016.

GONÇALVES, Lorraine; FERREIRA, Adriana Rodrigues. Facebook: a nova ferramenta de campanha eleitoral digital. Panorama, v. 3, n. 1, p. 264-278, 2013. Disponível em: <http://seer.ucg.br/index.php/panorama/article/viewDownloadInterstitial/3441/2012>. Acesso em: 24 de fev. de 2016.

GÜNTHER, Hartmut. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 22, n. 2, p. 201-210, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%0D/ptp/v22n2/a10v22n2.pdf>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

ISER, Fabiana. Pesquisa exploratória: a relevância da aproximação empírica para as definições da pesquisa. In: MALDONADO, Alberto Efendy et. al. Metodologias da pesquisa em comunicação: olhares, trilhas e processos. Porto Alegre: Sulina, p. 193-216, 2006.

ITUASSU, Arthur; CAPONE, Letícia; PARENTE, Taíse; PECORARO, Caroline. Internet, eleições e democracia: o uso das redes sociais digitais por Marcelo Freixo na campanha de 2012 para a Prefeitura do Rio de Janeiro. Revista Compolítica, v. 4, n. 2, p. 59, 2014. Disponível em: <http://www.compolitica.org/revista/index.php/revista/article/download/152/106>. Acesso em: 24 de fev. de 2016.

MARQUES, F. P. J. A.; SILVA, Fernando Wisse Oliveira; MATOS, Nina Ribeiro. Estratégias de Comunicação Política Online: Uma Análise do Perfil de José Serra no Twitter. Contemporanea-Revista de Comunicação e Cultura, v. 9, n. 3, p. 344-369, 2012.

MINAYO, Maria Cecília Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2007.

O DIA. Melhor custo-benefício da eleição é do Psol, 2014. Disponível em: <http://odia.ig.com.br/eleicoes2014/2014-10-10/melhor-custo-beneficio-da-eleicao-e-do-psol.html>. Acesso em: 12 de nov. de 2015.

OLIVEIRA, Denize Cristina de. Análise de conteúdo temático-categorial: uma proposta de sistematização. Rev. enferm. UERJ, v. 16, n. 4, p. 569-576, 2008. Disponível em: <http://www.facenf.uerj.br/v16n4/v16n4a19.pdf>. Acesso em: 02 mar. 2016.

QUEIROZ, Adolpho. Na arena do marketing político: ideologia e propaganda nas campanhas presidenciais brasileiras. São Paulo: Summus Editorial, 2006.

RÁDIO AGÊNCIA NACIONAL. Marcelo Freixo foi o deputado estadual mais votado no Brasil, 2014. Disponível em: <http://radioagencianacional.ebc.com.br/politica/audio/2014-10/marcelo-freixo-foi-o-deputado-estadual-mais-votado-no-brasil>. Acesso em: 23 de jun. 2016.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

RIBEIRO, Maria Eugênia. O papel do assessor de imprensa em um mundo movido pelas tecnologias digitais. Artigo da Linha de Pesquisa Inovações Tecnológicas na Comunicação Contemporânea. Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). São Bernardo do Campo, 2012. Disponível em: <http://www2.metodista.br/unesco/1_Ecom%202012/GT2/7.O%20papel%20do%20assessor%20de%20imprensa_Maria%20Eug%C3%AAnia.pdf>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

SERRANO, Estrela. Spin doctoring e profissionalização da comunicação política. In: CORREIA, João Carlos; FERREIRA, Gil Baptista; ESPÍRITO SANTO, Paula do (Orgs.) Conceitos de Comunicação Política, p. 91-98, 2010. Disponível em: <http://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/30843842/correia-conceitos-2010.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAJ56TQJRTWSMTNPEA&Expires=1469454398&Signature=%2B8DCdgvIqAdPZdpJJaxwl%2Bjkqdc%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%3DConceitos_de_Comunicacao_Politica.pdf#page=97>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

SILVA, Tarcisio Torres. Experiências políticas em redes sociais: colaboração e ação social num mundo desengajado. Revista Mediação, v. 11, n. 10, 2010. Disponível em: http://www.fumec.br/revistas/mediacao/article/download/302/299>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

TECHTUDO. Facebook revela dados do Brasil na CPBR9 e WhatsApp 'vira ZapZap', 2016. Disponível em: <http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2016/01/facebook-revela-dados-do-brasil-na-cpbr9-e-whatsapp-vira-zapzap.html>. Acesso em: 23 de jun. 2016.

THOMPSON, John B. A nova visibilidade. MATRIZes, v. 1, n. 2, 2008. Disponível em: <http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/MATRIZes/article/viewFile/5230/5253>. Acesso em: 05 de mar. 2016.

TORQUATO, Francisco Gaudêncio. Tratado da Comunicação: Organizacional e política. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

TREIN, Sérgio Roberto. O letramento político construído pela mídia no Brasil. In: CASTILHO, Alessandra; ROCHA, Daniela; GONDO, Roberto (Org.). Comunicação política na esfera pública: democracia, eleições e cidadania no Brasil. 1ed. Capivari: Nova Consciência, v. 1, p. 63-75, 2013.

VEJA. Facebook: um novo palanque eleitoral?. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/facebook-um-novo-palanque-eleitoral/>. Acesso em: 20 de nov. 2015.

VEJA. Facebook: um novo palanque eleitoral?, 2014. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/facebook-um-novo-palanque-eleitoral/>. Acesso em: 23 de jun. 2016.

Downloads

Publicado

31-12-2017

Como Citar

GRIJÓ, W. P.; VIEIRA, Ícaro G. da S. Visibilidade comunicativa na Internet: uma análise da fan page de Marcelo Freixo. Comunicação &amp; Informação, Goiânia, Goiás, v. 20, n. 3, p. 64–83, 2017. DOI: 10.5216/ci.v20i3.42523. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/42523. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos