Íntimo e distante: o nordeste de Maureen Bisilliat

Autores

  • Carla Adelina Craveiro Silva Mestranda em Comunicação na Universidade de Brasília (UNB)
  • Marcelo Eduardo Leite Professor Adjunto na Universidade Federal do Cariri (UFCA)

DOI:

https://doi.org/10.5216/cei.v17i1.28400

Palavras-chave:

Fotografia. Literatura. Maureen Bisilliat.

Resumo

A literatura está entre as referências que são buscadas na construção de narrativas sobre a região Nordeste do Brasil. No que se refere à fotografia, produções que dialogam com obras literárias de temática regionalista são identificadas. Nosso objetivo é tecer reflexões acerca das fotografias de Maureen Bisilliat publicadas no livro Sertões, luz e trevas (1982), no qual ela intercala trechos de Os Sertões (1902), de Euclides da Cunha, com imagens feitas entre 1967 e 1972. Revisão bibliográfica, relatos pessoais e análise das imagens se apresentam como formas de aproximação para com o processo criativo da fotógrafa, delineando, assim, uma melhor compreensão de sua narrativa, a qual elege o sertão como espaço de abordagem.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-07-22

Como Citar

SILVA, C. A. C.; LEITE, M. E. Íntimo e distante: o nordeste de Maureen Bisilliat. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 17, n. 1, p. 36–48, 2014. DOI: 10.5216/cei.v17i1.28400. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/28400. Acesso em: 18 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos