Maldição de sísifo: retrato sem retoque de uma instituição sexagenária, periodicamente desafiada a se reiventar

Autores

  • José Marques de Melo Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/c&i.v10i2.10788

Palavras-chave:

Jornalismo, Pedagogia, História, Século XX

Resumo

Inventário retrospectivo dos 60 anos de ensino de jornalismo no Brasil, no quadro mundial desse campo do conhecimento. Apesar da fundação tardia, as escolas de jornalismo lograram constituir uma matriz pedagógica de natureza crítico-experimental, hibridizando os modelos europeu e norte-americano. Nesta conjuntura, a área está sendo desafiada, frente às mutações tecnológicas e às transformações político-culturais, a se reinventar. O autor sugere dois eixos para essa mudança radical: superar a tradiçãogutenbergiana (hegemonia da mídia impressa) e ultrapassar a caricatura balzaquiana (agenda elitista e código excludente). Propõe, ademais, a inclusão das maiorias iletradas e dos contingentesescassamente educados no mercado consumidor dos produtos noticiosos, através da otimização das novas tecnologias de difusão simbólica, potencializando imagem e som, sem evidentemente descuidar da expressão verbal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-08-11

Como Citar

DE MELO, J. M. Maldição de sísifo: retrato sem retoque de uma instituição sexagenária, periodicamente desafiada a se reiventar. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 10, n. 2, p. 11–20, 2010. DOI: 10.5216/c&i.v10i2.10788. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/10788. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos