O Chão da Fábrica da Avaliação do Trabalho Docente Universitário

The Factory Floor: the Evaluation of Teaching Labor in Universities

Autores

  • André Barcellos Carlos de Souza Universidade Federal de Goiás
  • Lenin Tomazett Garcia Universidade Federal de Goiás
  • Maria das Graças Monteiro Castro Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v41.70204

Resumo

O presente artigo investiga como as universidades públicas federais estão se reorganizando à forma das organizações sociais (OSs), emulando o itinerário histórico e social do Brasil ao mesmo tempo que sintetizam e desenvolvem processos de reificação. O texto expõe os nexos constitutivos dessa reorganização da universidade em suas tramas com a nação brasileira, tratando as mediações e os processos históricos que essas mudanças ocultam e desenvolvem no trabalho docente. A reificação emerge como categoria explicativa desse processo, tendo como substância as políticas de avaliação e de progressão docente como novas determinações do trabalho universitário.

Palavras-chave: Trabalho Docente; Reificação; Políticas de Avaliação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lenin Tomazett Garcia, Universidade Federal de Goiás

Doutor e Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal de Goiás. Professor na Faculdade de Educação Física e Dança – UFG. Trabalha com pesquisas em Ciências Sociais e Humanas, com ênfase em Sociologia da Educação.

Maria das Graças Monteiro Castro, Universidade Federal de Goiás

Mestre e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da UFG. Professora Associada na Faculdade de Informação e Comunicação da UFG.

Publicado

2021-10-17 — Atualizado em 2021-10-17

Versões

Como Citar

BARCELLOS CARLOS DE SOUZA, A.; TOMAZETT GARCIA, L.; MONTEIRO CASTRO, M. das G. . O Chão da Fábrica da Avaliação do Trabalho Docente Universitário: The Factory Floor: the Evaluation of Teaching Labor in Universities. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 41, n. 1, 2021. DOI: 10.5216/bgg.v41.70204. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/70204. Acesso em: 7 dez. 2022.