MEANDROS NA PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: MOBILIDADE, ACESSIBILIDADE E EXCLUSÃO SOCIAL - DOI 10.5216/bgg.v29i1.5765

Autores

  • Marcos Leandro Mondardo

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v29i1.5765

Palavras-chave:

Espaço urbano, Produção, Mobilidade, Acessibilidade, Exclusão social

Resumo

Este trabalho tem por objetivo analisar a produção do espaço urbano no modo de produção capitalista. A partir de três elementos, consideramos aqui, metaforicamente, os meandros na produção do espaço urbano, ou seja, a mobilidade, a acessibilidade e a exclusão social, buscamos compreender as diferenças na espacialização das relações. Nesse contexto, a produção do espaço urbano ocorre através de objetos e de ações, do trabalho, de idéias e de representações, de modos de vida etc. O espaço urbano é produzido, desse modo, através da mobilidade de pessoas e de objetos, de pessoas que levam objetos, de objetos que transformam as mobilidades das pessoas. São relações que interagem no espaço urbano criando e re-criando através da mobilidade a acessibilidade, ou seja, propiciando o acesso rápido e eficiente para determinados lugares. Através da produção do espaço diferenciado a acessibilidade é desigual para as diferentes classes e/ou frações de classes que se movem, que trabalham, que sobrevivem. Essa desigualdade cria exclusão social (ou inclusão precária), em função desses meandros na produção do espaço como a mobilidade, que pode permitir, melhorar e potencializar a acessibilidade. São meandros, são relações sociais que produzem o espaço urbano de maneira diferenciada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Leandro Mondardo

Mestrando em Geografia pelo Programa de pós-graduação da Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD

Downloads

Publicado

2009-07-16

Como Citar

MONDARDO, M. L. MEANDROS NA PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: MOBILIDADE, ACESSIBILIDADE E EXCLUSÃO SOCIAL - DOI 10.5216/bgg.v29i1.5765. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 29, n. 1, p. 57–72, 2009. DOI: 10.5216/bgg.v29i1.5765. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/5765. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos