AS CENAS CRUAS E VISCERAIS DE LINA BO BARDI NOS ANOS 1960

Entre o espaço “abstrato” e o espaço “abjeto”

Autores

  • Evelyn Furquim Werneck Lima Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v5i1.57782

Resumo

Este artigo analisa três projetos de cenografia teatral elaborados por Lina Bo Bardi, dois em um teatro improvisado no palco do Teatro Castro Alves em Salvador, em escombros, após incêndio, e o terceiro no Teatro Oficina, em São Paulo, ainda no antigo espaço projetado por Império e Lefèvre. Busca traçar um paralelo com os escritos e projetos arquitetônicos de Bo Bardi, demonstrando o profundo conhecimento da arquiteta tanto sobre as propostas de Brecht para a cena teatral quanto sobre a apropriação da cultura popular nordestina, que encontraram terreno fértil em sua obra de arquitetura cênica. Com base nas teorias de produção do espaço de Henri Lefebvre (1974) e nas recentes formulações teóricas de Dorita Hannah (2018), as três propostas investigadas revelam concepções espaciais cruas e viscerais das cenas idealizadas pela arquiteta ítalo-brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANELLI, Renato. O que faz a obra de Lina Bo Bardi ser atual? AU – arquitetura e urbanismo. Edição 249 - Dezembro/2014 http://au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/249/artigo333938-1.aspx. Acesso em 26 jul. 2018.

ANELLI, Renato. Lina Bo Arquiteto. Catálogo de exposição realizada no Masp pelo Instituto Lina Bo Bardi, São Paulo, 2006.

ARTAUD, Antonin. Le théâtre et son double. Paris, Gallimard, 1938.

BATAILLE, Georges. Architecture. In: LEACH, Neil (org.). Re-thinking Architecture, London/New York: Routledge, 1997, p.19-21

BENJAMIN, Walter. Ensaios sobre Brecht. São Paulo: Bomtempo, 2017.

BO BARDI, Lina. Crônicas de arte, de costume, de cultura da vida. Arquitetura. Pintura. Escultura. Música. Artes Visuais, Diário de Notícias – Caderno Olho sobre a Bahia n. 9, Salvador, 28 set. 1958.

BO BARDI, Lina. Entrevista ao crítico literário Leo Gilson Ribeiro. Jornal do Brasil – Suplemento Literário, 17 dez. 1970.

BO BARDI, Lina. Teoria e filosofia da arquitetura. In: OLIVEIRA, Olivia (org.) Lina Bo Bardi. Obra construída. Barcelona: 2G/Gustavo Gili, n.23/24, 2002, p. 210-214.

BO BARDI, Lina. Na Pompéia: o bloco esportivo. In: OLIVEIRA, Olívia de. Repasses: a depredação material e espiritual da obra de Lina Bo Bardi. Arquitextos, 2006. Disponível em http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/06.068/387. Acesso em 26 jul. 2018.

BRECHT, Bertolt. Estudos sobre teatro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005. (1. ed. 1970).

COSTA, Iná de Camargo. O teatro épico de Brecht. Pandaemonium Germanicus. n. 4, 2000, p. 27-46.

GUIMARAENS, Maria da Conceição. Dois olhares sobre o patrimônio cultural brasileiro: Lina e Lygia, Diss. Mestrado, ECO/UFRJ, 1993.

HANNAH, Dorita. Event-Space. Theatre architecture and the Historical Avant-Garde. London/New York: Routledge, 2018.

HANNAH, Dorita. Absolute, Abstract & Abject: Learning from the event-space of the historical avant-garde Conference Paper, II Jornada Nacional Arquitetura, Teatro e Cultura, Rio de Janeiro, Julho 2014.

HARVEY, David. Cidades Rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

LEÃO, Raimundo Mattos de (2003). Da cena amadora ao novo projeto da Escola de Teatro. Revista da Bahia, n. 37. Funceb, 2003.

LEÃO, Raimundo Matos de. Abertura Para Outra Cena – Uma História do Teatro na Bahia a Partir da Criação da Escola de Teatro (1946-1966). Salvador, 2003. Dissertação. (Mestrado em Artes Cênicas). PPGAC/UFBA.

LEFEBVRE, Henri. La production de l´espace. Paris: Anthropos, 1974.

LIMA, Evelyn Furquim Werneck. Factory, Street and Theatre in Brazil: Two Theatres by Lina Bo Bardi. In: Andrew Filmer; Juliet Rufford (ed.) Performing Architectures. London: Bloomsbury, 2018, p. 35-48.

LIMA, Evelyn Furquim Werneck. O espaço cênico de Lina Bo Bardi: uma poética antropológica e surrealista. ArtCultura (UFU), v. 9, 2008, p. 31-42.

MAGALDI, Sábato. “A ópera dos três vinténs”. Estado de S. Paulo. 10 dez. 1960.

MAGALDI, Sabato. “Calígula”. Estado de São Paulo. 22 jul. 1961.

MAGALDI, Sabato. “Na Selva das Cidades”. Folha de São Paulo. 17 set. 1969.

OLIVEIRA, Olivia. Sutis substâncias da arquitetura. São Paulo: Romano Guerra, 2014.

ROSSINI, Eduardo Pierroti, O que faz a obra de Lina Bo Bardi ser atual? AU – arquitetura e urbanismo. Edição 249 - Dezembro/2014 http://au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/249/artigo333938-1.aspx. Acesso em 26 jul. 2018.

RISERIO, Antonio. Avantgarde na Bahia. São Paulo: Instituto Lina e P. M. Bardi, 1995.

SILVA, Mateus Bertone da. A arquitetura cênica de Lina Bo Bardi para A Ópera de Três Tostões e as interlocuções com a teoria do palco épico brechtiano. Anais do VII Congresso da Abrace, Porto Alegre, 2012.

Downloads

Publicado

2019-07-27

Como Citar

LIMA, E. F. W. AS CENAS CRUAS E VISCERAIS DE LINA BO BARDI NOS ANOS 1960: Entre o espaço “abstrato” e o espaço “abjeto”. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 5, n. 1, p. 029–059, 2019. DOI: 10.5216/ac.v5i1.57782. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/57782. Acesso em: 26 fev. 2024.