REFLEXÕES SOBRE A COMPOSIÇÃO CENOGRÁFICA E O PALIMPSESTO A PARTIR DA PRÁTICA TEATRAL EM ESPAÇOS DE USO NÃO CONVENCIONAL

Autores

  • Daniel Marcos Pereira Mendes Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v4i2.54427

Resumo

Neste artigo é abordado um tema relacionado à imagética da cena, mais precisamente acerca da Composição Cenográfica de espetáculos teatrais praticados em espaços de uso não convencional. Aqui será dedicada uma atenção especial à analogia entre a Composição Cenográfica e o palimpsesto, tendo em vista a importância dos espaços que são eleitos, seus significados peculiares e suas contribuições para a dinamização da narrativa cênica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Marcos Pereira Mendes, Universidade Federal de Minas Gerais

  • Mestre em Artes Cênicas (Mestrado Acadêmico) pela Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP (2016).
  • Bacharel em Artes Visuais com habilitação em Escultura pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (2005).
  • Ator, Cenógrafo, Figurinista e Maquiador de Espetáculos Teatrais - DRT MG-7565.
  • Fundador do Núcleo Galatéia - Investigação da Visualidade na Cena.
  • Integrante do Grupo Giramundo Teatro de Bonecos (de 2006 a 2010).
  • Desenvolve pesquisas relacionadas ao Espaço Cênico com ênfase em Cenografia e Cenotecnia. Trabalha com Direção de Arte em Audiovisuais e em Teatro, Caracterização Cênica, Figurinos, Máscaras, Maquiagem e  a  criação e execução de Bonecos para Espetáculos Teatrais e outras mídias.    
  • Atualmente é efetivado enquanto Técnico de Laboratório em Cenotecnia e Iluminação no Departamento de Artes Cênicas da Escola de Belas Artes UFMG.

Referências

APPIA, Adolphe. A Obra de Arte Viva. Tradução de Redondo Júnior, edição de Eugénia Vasques. 2ª ed. Amadora, Biblioteca. Portugal: Escola Superior de Teatro e Cinema, 2004. CD-ROM.

ARTAUD, Antonin. O Teatro e seu Duplo. Tradução Teixeira Coelho; Revisão de tradução Monica Stahel. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BORNHEIM, Gerd Alberto. O sentido e a máscara. São Paulo: Perspectiva, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do Cotidiano: 1. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 21ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

COHEN, Myriam Aby. Cenografia Brasileira Século XXI: diálogos possíveis entre prática e o ensino. São Paulo: Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2007. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas).

DONDIS, Dondis A. Sintaxe da Linguagem Visual. Tradução Jefferson Luiz Camargo. 2ª ed. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1997.

Enciclopédia Século XX. Dicionário. 12º volume. Livraria José Olympio Editora. Rio de Janeiro, 1977, p. 1152.

GARROCHO, Luiz Carlos. Madeiazonamorta: dos corpos, dos planos e do todo aberto. In: Grupo Teatro Invertido. Cena Invertida: dramaturgias em processo. Belo Horizonte: Edições CPMT, 2010a.

GARROCHO, Luiz Carlos. A cena nos espaços encontrados. VI Congresso de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas. Belo Horizonte: 2010b. Disponível em: http://www.portalabrace.org/vicongresso/territorios/Luiz%20Carlos%20Garrocho-%20A%20cena%20nos%20espa%E7os%20enconrados.pdf Acesso em: 03, jul, 2018.

KOSOVSKI, Lídia. Comunicação e Espaço Cênico: Do cubo teatral à cidade escavada. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura/Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2000. Tese (Doutorado em Comunicação).

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. Tradução: Pedro Süssekind. Apresentação: Sérgio de Carvalho. São Paulo: Editora Cosac & Naif, 2007.

MENDES, Daniel Marcos Pereira. Estudos de processos de Composição Cenográfica em espetáculos teatrais praticados em espaços de uso não convencional durante a Ocupação Cênica e a Coabitação Teatral. Ouro Preto: Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/ UFOP, 2016. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas).

NASCIMENTO, Ela. Sobre Espaço, Imagem e Cenografia. Revista Vestindo a Cena. São Paulo: 2014. Disponível em: http://vestindoacena.com/sobre-espaco-imagem-e-cenografia/ Acesso em: 21, out, 2015.

OLIVEIRA, Rogério Santos de. O Espaço-Tempo da Vertigem: Grupo Teatro da Vertigem. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/ Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2005. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas).

OLIVEIRA, Rogério Santos de. El Proceso Creativo Teatral: Conceptualización y análisis a través de su aplicación a la obra de de Albert Boadella y Els Joglars. Alcalá: Facultad de Filosofía y Letras/ Universidad de Alcalá, 2009. Tesis (Doctorado en Artes).

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Tradução para língua portuguesa sob a direção de J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

RATTO, Gianni. Antitratado de cenografia: variações sobre o mesmo tema. São Paulo: SENAC, 1999.

ROLLEMBERG, Doris Cruz. A cenografia além do espaço e do tempo: O Teatro de dimensões adicionais. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Teatro/ Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2008. Tese (Doutorado em Teatro).

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4ª ed. São Paulo: EDUSP, 2012.

URSSI, Nelson José. A Linguagem Cenográfica. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/ Universidade de São Paulo, 2006. Dissertação (Mestrado em Artes).

VIANA, Fausto Roberto Poço; CAMPELLO NETO, Antonio Heráclito Carneiro. Introdução histórica sobre cenografia: os primeiros rascunhos. São Paulo: Fausto Viana, 2010.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

MENDES, D. M. P. REFLEXÕES SOBRE A COMPOSIÇÃO CENOGRÁFICA E O PALIMPSESTO A PARTIR DA PRÁTICA TEATRAL EM ESPAÇOS DE USO NÃO CONVENCIONAL. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 4, n. 2, 2018. DOI: 10.5216/ac.v4i2.54427. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/54427. Acesso em: 17 maio. 2024.