A VISUALIDADE INCORPORADA EM LA BÊTE DE WAGNER SHWARTZ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v3i2.49299

Palavras-chave:

antiteatralidade, visualidade, participação, La Bête.

Resumo

Partindo da observação/participação na obra La Bête (2013-) de Wagner Shwartz, o escrito desenvolve reflexão acerca dos modos particulares em que se instala a produção de sentido nesta ação de caráter participativo. Para o estudo pretendido, se utilizará como vetor de análise os conceitos de antimimesis e antiteatralidade,  a partir da abordagem de Luiz Fernando Ramos (2015), e de visualidade na práxis cênica com base em algumas reflexões surgidas no encontro com prof. Dr. Eduardo Tudella, durante o seminário Práxis cênico- espetacular e visualidades (primeiro semestre de 2017).  Posteriormente descreverá a ação proposta por Shwartz aos espectadores para refletir acerca da participação nesta experiência espetacular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Marques Duarte, Universidade Federal da Bahia

Sarah Marques Duarte é doutoranda em Artes Cênicas na UFBA. Integrante do grupo de pesquisa Poéticas Tecnológicas: corpo audiovisual com orientação da Prof. Dra. Ivani Santana. É mestre em Lenguajes Artísticos Combinados, Universidad Nacional de las Artes (2016), e especialista pela mesma instituição. É bacharel em Artes Cênicas pela UniRio (2014). 

Referências

CLARK, Lygia; OITICICA, Helio; FIGUEIREDO, Luciano. Lygia Clark - Helio Oiticica: Cartas, 1964-1974. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996.

CLARK, Lygia. Bichos, 1960. Em: O mundo de Lygia Clark. Associação Cultural: O mundo de Lygia Clark. Disponível em< http://www.lygiaclark.org.br/arquivoPT.asp> Acesso em: 21/08/2017.

DEWEY, John. Arte como experiência. Trad. Vera Ribeiro; introd.: Abraham Kaplan. São Paulo, Martins Fontes, 2010.

FABIÃO, Eleonora. Programa Performativo: o corpo-em-experiência. Revista do LUME, no4, 2013. Disponível em: <http://www.cocen.unicamp.br/revistadigital/index.php/lume/article/view/276/256> Acesso em: 20/08/2017

MARINHO, Ana Carolina. Crítica Performativa- La Bête. Revista Antropositivo, Curitiba, 2016. Disponível em: <https://issuu.com/antropositivo/docs/cp_labete> Acesso em: 20/08/2017

RAMOS, Luiz Fernando. Mimesis performativa: a margem de invenção possível. São Paulo:

Annablume, 2015.

RANCIÈRE, Jacques e Ivone C Benedetti. O Espectador Emancipado. 1st ed. São Paulo,Martins Fontes, 2012.

TUDELLA. Eduardo Augusto da Silva. Práxis cênica como articulação de visualidade: a luz na gênese do espetáculo. Tese (Doutorado) - Escola de Teatro. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

DUARTE, S. M. A VISUALIDADE INCORPORADA EM LA BÊTE DE WAGNER SHWARTZ. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 3, n. 2, p. 120–130, 2017. DOI: 10.5216/ac.v3i2.49299. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/49299. Acesso em: 22 jun. 2024.