O Sétimo Selo, de Ingmar Bergman, e as bases metafísicas da ciência moderna

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v16i1.45910

Palavras-chave:

cinema, percepção da ciência, metafísica

Resumo

Explorando as potencialidades do cinema para dar a ver aquilo que excede a representação na tela e o próprio campo perceptivo do espectador, o filme O Sétimo Selo, de Ingmar Bergman, é aqui tomado como fio condutor das articulações entre as bases metafísicas da ciência moderna e a construção da oposição entre cultura e civilização. Outros filmes pontuam a análise que parte do triunfo da teoria gravitacional de Isaac Newton em direção ao largo espectro percepções visuais sobre a cultura ocidental oferecido por O Setimo Selo, do Gênesis ao Apocalipse, da aurora da ciência moderna à bomba atômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Barreto, Universidade Estadual de Campinas

Docente do Núcleo Geral Comum da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp. Licenciado em Ciências e em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1989), com mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp/1995) e doutorado em Ciências Sociais (2007).  Pós-Doutorado em na Université Paris-1 – Sorbonne, sob o tema Cinema e Percepção da Ciência.

Referências

BARBARAS, Renaud. Investigações Fenomenológicas: em direção a uma fenomenologia da vida. Curitiba: Editora da UFPR, 2011.

BARRETO, Márcio. Por Que Revisitar o Debate entre Bergson e Einstein? Trans/Form/Ação, Marília, v. 39, n. 1, p. 77-92, Jan/Mar, 2016.

BARTHES, Roland. La chambre clair. Paris: Gallimard, 1980.

BAUDRY, Jean-Louis. Le dispositif: approches metapsycologiques de l’impression de realité. Paris: Communications, 1975.

BERGSON, Henri. As duas fontes da moral e da religião. Rio de Janeiro: Zahar. Durée et Simultanéité. (1998). Paris: Quadridge/P.U.F., 1978.

____________ Durée et Simultanéité. Paris: Quadridge/P.U.F., 1999.

____________ A Evolução Criadora. Lisboa, Edições 70, 2001.

CABRERA, Julio. O cinema pensa. Uma introdução à filosofia através dos filmes. Rio de Janeiro: Rocco, 2006

COPÉRNICO, Nicolau. As Revoluções dos Orbes Celestes. 1ª edição, Lisboa: Fundação Calouste Gunbenkian, 1984.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. São Paulo: Perspectiva, 1974.

____________ Cinema 1: A imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense, 1983.

____________Cinema 2: a imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DOBB'S Betty. The Foundations of Newton's Alchemy. New York: Cambridge University Press, 1984.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Petrópolis: Vozes, 2000.

KEYNES, John Maynard. Newton, The Man. In: Essays in Biography. London: The Macmillan Press Ltd., 1972.

KOPENAWA, Davi. Depoimento recolhido, traduzido do Yanomami e editado por Bruce Albert, antropólogo do IRD (São Paulo-Paris). Catalogo da Conferência Brasil 500 anos, experiência e destino. A outra margem do Ocidente. São Paulo, FUNARTE – Instituto Cultural Itaú, 1998.

KOYRÉ, Alexandre. Études newtoniennes. Paris: Gallimard, 1968.

LAWRENCE, David Herbert. Apocalipse, seguido de O homem que morreu. São Paulo: Cia. das Letras, 1990.

MACHADO, Arlindo. Pré-cinema e pós-cinema. Campinas: Papirus, 2013.

NEWTON, Isaac. As Profecias de Daniel e o Apocalipse. Édipo: São Paulo, 1950.

NISHITANI, Keiji. Religion and nothingness. Berkley: University of California Press, 1982.

PRIGOGINE, Ilya. e STENGERS, Isabelle. A Nova Aliança. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1984.

RUMI, Mevlana. Masnavi. Buenos Aires: Dervish Ediciones, 1981.

SANTOS, Laymert Garcia dos. Lautréamont e o desejo de não desejar. In: Novaes, A. O desejo. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SHAKESPEARE, William. Hamlet. Tradução de Millôr Fernandes. São Paulo: L & PM, 2011.

SIMONDON, Gilbert. Du mode d’existence des objets techniques. Paris, Aubier-Montaigne, 1969.

_____________ Sur la technique. Paris: Presses Universitaires de France, 2013.

TARKOVSKY, Andrei. Esculpir o tempo. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

TRISMEGISTO, Hermes. Corpus Hermeticum. Discurso de iniciaçao a tabua de esmeralda. São Paulo: Hemus, 2001.

YATES, Francis. Giordano Bruno e a Tradição Hermética. São Paulo: Cultrix, 1987.

ZIZEK, Slavoj. Tout ce que vous avez toujours voulu savoir sur Lacan sans jamais oser le demander a Hitchcock. Paris: Navarian, 1988.

Downloads

Publicado

2018-06-28

Como Citar

BARRETO, M. O Sétimo Selo, de Ingmar Bergman, e as bases metafísicas da ciência moderna. Visualidades, Goiânia, v. 16, n. 1, 2018. DOI: 10.5216/vis.v16i1.45910. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/45910. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos